Hyundai estuda antecipar fábrica no país para 2009

Valor Econômico | 8/10/2008 – 10h43

A rápida valorização do dólar frente ao real verificada nas últimas semanas deve acelerar os planos da Hyundai Heavy Industries de instalar uma linha de montagem no Brasil. Com a previsão de encerrar o ano com mais de três mil máquinas operando no país, a fabricante coreana pode optar pela região de Sorocaba, no interior de São Paulo, até o fim do ano que vem. Antes, o prazo acertado entre o distribuidor local e a fabricante coreana para decidir sobre uma linha de montagem era 2012. Caso se concretize, a unidade será base de exportação para toda a América Latina.
“Com alta do dólar, fábrica virou assunto primordial”, diz Cavalieri, da Brasil Máquinas, que acaba de voltar da Coréia.

A perspectiva de antecipar a vinda ao país, para 2009, foi dada pela Brasil Máquinas, empresa ligada à trading Comexport e distribuidora da divisão de equipamentos pesados da Hyundai no mercado nacional. Segundo Felipe Cavalieri, diretor-geral da Brasil Máquinas, a importadora já contratou uma consultoria para avaliar o local mais favorável à instalação e o investimento necessário, estimado em cerca de US$ 50 milhões. O valor é semelhante ao que foi investido pela fabricante para instalar uma linha de montagem na Índia.

Desde 2002, quando ingressou no mercado nacional, todas as máquinas da Hyundai foram importadas da Coréia do Sul. A idéia de vir ao Brasil ganhou força com o crescimento econômico do país, mas sempre esbarrou nas condições de mercado, principalmente o dólar baixo e demanda interna em alta, cenário propício aos importadores. Agora, com o país já consolidado como maior mercado da fabricante fora da Coréia e com potencial para seguir com um volume de vendas aquecido, as conversas mudaram de tom.

“Com a alta do dólar, a fábrica virou assunto primordial”, afirma Cavalieri, que retornou na semana passada da Coréia do Sul. Lá, segundo ele, as conversas com o vice-presidente da Hyundai, EY Lee, giraram em torno do porte e de quais modelos seriam feitos aqui. “A princípio seriam três, para uma capacidade de produção de três mil unidades por ano”.

O vice-presidente da Hyundai desembarca amanhã no Brasil para inaugurar o centro de distribuição construído pela Brasil Máquinas, em Vinhedo (SP). Depois, vai sobrevoar a região que pode ser escolhida para a nova unidade. O interior paulista, afirma Paulo Oliveira, diretor comercial da importadora, é o local mais adequado por conta da logística favorável.

Neste ano, a importadora vendeu cerca de 2 mil equipamentos entre escavadeiras, pá-carregadeiras, colheitadeiras e empilhadeiras. Questionado sobre os impactos da valorização do dólar nas vendas, Cavalieri disse que até 2009 é possível trabalhar sem estreitar as margens, pois o won (moeda sul-coreana) também se desvalorizou frente à americana.

O interesse da Hyundai no mercado nacional não está restrito a equipamentos pesados. No início de setembro, o diretor-geral da Hyundai Corporation para a América Latina, Gi-Seob Kim, falou ao Valor que a vinda da empresa ao país foi definida durante uma missão brasileira na Coréia do Sul, liderada em abril pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Para isso, a holding do grupo busca local para montar um escritório no país. Segundo Cavalieri, deverá ser na sede da Brasil Máquinas, na cidade de São Paulo.

Entre outros assuntos, o grupo coreano demonstrou interesse em participar de projetos da indústria naval, ferroviária e de exploração de petróleo, além da promessa de instalar uma fábrica de automóveis em Piracicaba (SP).

Fonte: Webtranspo