Indústria automobilística bate recordes de vendas em 2009

866,4 mil carros e comerciais leves foram comercializados no primeiro quadrimestre de 2009.

Alzira Rodrigues – 5/5/2009 – 20h49

Com um pequeno crescimento de 0,13% em relação ao primeiro quadrimestre de 2008, as vendas de carros e comerciais leves atingiram 866.444 unidades neste ano, um desempenho recorde desse segmento no período. Em contrapartida, o mercado de caminhões está em baixa, com queda de 19,13% no mesmo comparativo – 29.886 unidades em 2009, ante 36.954 no ano passado. O quadro é ainda mais negativo no mercado de duas rodas, que teve queda de 34,8%, com 496.618 motos comercializadas neste ano.

Os dados foram divulgados ontem pelo presidente da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos (Fenabrave), Sérgio Reze, que considera uma “conquista” o desempenho obtido pelo setor em 2009. Em abril, particularmente, houve queda em todos os segmentos da área automotiva, mas o fato é atribuído ao menor número de dias úteis no mês, com dois feriados seguidos. Foram comercializados 224,4 mil carros e comerciais leves no mês passado, resultado 14% inferior ao de março. As vendas de caminhões atingiram 8.382 unidades, 3,02% a menos que no mês anterior. No caso dos carros e comerciais leves, o resultado positivo no ano é atribuído à redução do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), que iria vigorar até março e foi prorrogada para junho, e às promoções.

Projeções – Num cenário favorável, com a manutenção dos atuais níveis de vendas nos próximos meses, a Fenabrave acredita que o crescimento em 2009 ficará na faixa de 4%, com o mercado de carros e comerciais leves chegando a 2,78 milhões de unidades, ante as 2,67 milhões de 2008. Já num cenário desfavorável, que entre outros fatores contempla uma eventual queda de demanda após junho, quando termina o IPI reduzido, estima-se queda de 2,55%.

O mercado de caminhões, segundo Reze, foi afetado pela falta dos fretes, decorrente da queda no transporte de produtos industriais, de mineração e os ligados ao agronegócios, afetados em grande parte pela redução das exportações. Já o de motos está em queda por causa das dificuldades enfrentadas pelos consumidores de menor renda para conseguir financiamento. “Há crédito e os juros estão razoáveis. Mas os bancos estão mais exigentes na hora de fazer o cadastro.”

Ranking – No mercado de automóveis, o Gol, da Volkswagen, continua liderando o ranking nacional, com 89.451 unidades comercializadas no quadrimestre. O Fiat Palio é o segundo colocado (59.457 carros), seguido pelo Uno (51.564) e o Chevrolet Celta (38.026). A Volkswagen é lider no segmento de automóveis, com participação de 26,28%, e a Fiat é a segunda, com 24,92%. Em comerciais leves, no entanto, a Fiat lidera com 21,71%, enquanto a Volkswagen ocupa a quarta posição (11,19%), atrás da GM (17,49%) e Ford (14,95%).

Fonte: Diário do Comércio