Inflação do carro acelera e acumula alta de 7,1%

                                             Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

O etanol foi o principal responsável pelo aumento nos custos de manutenção do automóvel no mês passado. A alta de 6,95% no preço do álcool liderou o indicador medido pela Agência Autoinforme. Somente o combustível tem participação de 30% nos gastos dos motoristas.

A escalada nos preços é verificada desde setembro – quando houve a segunda alta do ano -, após um primeiro semestre com preços mais estáveis. No acumulado até novembro, o produto registra variação de 5,66%. De acordo com o diretor da agência, Joel Leite, qualquer alteração dos preços de combustíveis tem grande influência na inflação.

Outros itens que sofreram reajuste em novembro foram bateria (5,60%), cambagem (4,7%), mão de obra (2,66%) e lavagem simples (2,56%). No índice anual, a bateria encabeça a lista dos produtos e serviços que ficaram mais caros, com 11,69%.

Ainda no quesito aumento, a menor variação nos últimos 12 meses ficou com serviços de revisão ou mão de obra, com 5,83%.

MAIS BARATO – Em contrapartida, os itens e serviços que desaceleraram em novembro foram as pastilhas de freio (-1,89%), seguidas por alinhamento (-1,14%), filtro de combustível (-1,02%), filtro de óleo (-0,61%) e jogo de velas (-0,60%).

Ao verificar o indicador anual, alinhar o automóvel está 2,25% mais em conta quando comparado a igual período do ano passado. Em relação ao fitro de combustível é verificada elevação no preço de 8,94% frente aos últimos 12 meses, mesmo após queda em novembro.

A pesquisa conduzida pela Agência Autoinforme considera a evolução dos preços de todos os itens que o motorista usa para andar e fazer a manutenção do como peças, serviços, combustíveis, impostos e até mesmo seguros.

Fonte: Diário do Grande ABC