Rivian R1T, a picape elétrica que quer desafiar a Tesla

rivian r1t

A fabricante de carros elétricos (e tecnológicos) Tesla já ocupa um lugar no coração de muitos clientes, a maioria norte-americanos. Mas a Rivian, empresa fundada em 2009 em Detroit, o berço da indústria automotiva dos EUA, quer conquistar esse público com a Rivian R1T.

Instalada em uma antiga fábrica de máquinas registradoras, no subúrbio da “Motorcity”, a Rivian tem 300 engenheiros. O time trabalha em dois veículos elétricos de segmentos que os americanos adoram: uma picape e um SUV.

As duas novidades serão as estrelas da marca no Salão de Los Angeles, que abre ao público na sexta-feira, dia 30. Confira aqui a cobertura completa do dia de prévias para a imprensa, na quarta-feira, 28.

A picape Rivian R1T tem autonomia para rodar mais de 640 km sem recarregar as baterias. O modelo estará à venda no fim de 2020. O alvo é a picape que a Tesla já anunciou, mas ainda não lançou.

O conjunto propulsor da Rivian R1T é formado por quatro motores elétricos, um em cada roda. Para acelerar de 0 a 97 km/h, a picape precisa de apenas três segundos.

Entre os itens prometidos pela marca  estão capota marítima retrátil rígida e compartimento de carga sob os bancos traseiros. Esse nicho permitirá levar objetos compridos, como pranchas de surf, por exemplo.

Preços da Rivian R1T

A Rivian R1T terá preço em torno dos US$ 90 mil. Isso dá cerca de R$ 350 mil na conversão direta, sem impostos. Mas a marca promete uma versão mais barata.

De acordo com o CEO da Rivian, RJ Scaringe, a opção mais simples já está sendo desenvolvida. Essa picape terá autonomia menor, de cerca de 370 km.

O preço inicial será de US$ 70 mil. São cerca de R$ 270 mil, na conversão direta, sem impostos.

Especialistas estimam que a Tesla deve perder participação de mercado nos próximos anos. A veterana será impactada pelo surgimento de novas marcas, como a Rivian. Além disso, fabricantes tradicionais também estão investindo no segmento de veículos elétricos e eletrificados.

“A Tesla irá perder mercado conforme mais competidores chegam”, afirma o analista-sênior da consultoria Gartner, Michael Ramsey. Segundo a consultoria Navigant Research, em 2025 as vendas de veículos elétricos serão de cerca de 6,5 milhões de unidades por ano no mundo. Atualmente, esse número gira em torno de  1 milhão.

Até a russa Kalashnikov, conhecida por ser fabricante dos fuzis AK-47, promete brigar no segmento com o CV-1(abaixo).

Entre as marcas tradicionais que já têm elétricos à venda ou prestes a chegar estão Audi, com o e-Tron, Jaguar, com o I-Pace, Porsche, com o Taycan, Mercedes-Benz, com o EQC e BMW, com a linha i (i3 e I8). Isso, citando apenas as que atuam no segmento de produtos de luxo.

Das generalistas, Ford, Honda, Nissan, Toyota e Volkswagen, além de várias marcas chinesas, estão entrando forte nesse mercado.