IPI menor aquece venda de carros novos

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

A queda do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos carros zero-quilômetro, que gerou uma redução nos preços dos veículos, começou a reaquecer as vendas do setor automotivo nos últimos dias.

A perspectiva das revendas da região é de uma reação, após um início de mês fraco. Na primeira quinzena de dezembro, a comercialização de veículos novos no País ainda ficou 4,25% menor do que na metade inicial de novembro, de acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Segundo o presidente do Sincodives (Sindicato das Concessionárias de Veículos de São Paulo), Octávio Vallejo, os números já poderiam ter sido melhores. “Não houve tempo hábil, as montadoras estão devolvendo as notas fiscais para as concessionárias com o desconto do tributo”, afirmou.

Entretanto, o pacote do governo federal – que zerou o IPI para carros 1.000 cilindradas e cortou pela metade o imposto para os de 1.0 a 2 litros – já animou os concessionários. “Dezembro começou devagar, mas na semana passada, o mercado deu uma mexida, com a informação do IPI menor”, disse a gerente geral da revenda Volkswagen Conshop, Patrícia Sofiati Abade.

O gerente da Fiat Itavema ABC, Paulo Mori, também observou uma reação. Ele citou que a loja vendia de 15 a 20 carros por fim de semana. “No último fim de semana, já vendemos 45. Antes um Uno duas portas básico custava R$ 22.390, agora sai por R$ 20.990”, contou.

O diretor do grupo Vigorito, Hermes Schincariol Júnior, mostrou otimismo. Ele acredita que será possível vender neste mês entre 20% a 30% a mais do que em novembro, quando a rede de revendas Chevrolet vendeu 600 carros zero.

Disposição – Com o IPI menor, muitos consumidores se dispuseram a fechar negócio. Foi o caso, por exemplo, do funcionário da GM Márcio Apolinário que adquiriu quarta-feira uma Meriva. O modelo, que antes saia por cerca de R$ 45 mil, atualmente é encontrado por R$ 43 mil.

“Com certeza, o IPI menor ajudou, caiu um pouco o valor”, disse o metalúrgico Gledson Pedrosa, que também foi quarta-feira até uma revenda. Ele pesquisava as condições e se mostrava disposto a comprar um automóvel novo.

Fonte: Diário do Grande ABC