Isenção de impostos faz crescer frota de carros ´mexicanos´ no Brasil

País já conta com 12 modelos fabricados no México.
Só este mês foram anunciados o Dodge Journey e Chevrolet Captiva.

Denis Freire de Almeida
Do G1, em Los Cabos (México) – O jornalista viajou a convite da GM

Está cada vez mais comum encontrar veículos mexicanos no Brasil. Com a chegada do utilitário esportivo Captiva, da Chevrolet, já são doze modelos vindos daquele país, beneficiados pelo acordo bilateral de isenção de impostos.

A Volkswagen é a montadora que mais tira proveito desse acordo, sendo a recordista com quatro modelos “importados” vendidos no Brasil: os sedãs Bora e Jetta, além da station wagon Variant e do hatch New Beetle.

Apesar de ser feito na plataforma do Golf brasileiro, o Bora vem do México.

Em segundo vêm a Nissan, com o sedã Sentra e o hatch Tiida, e a Dodge, que já trazia a enorme picape Ram e acabou de apresentar o crossover Journey. A Honda participa com o jipe CR-V e a Chrysler, com o “retrô” PT Cruiser. Mas quem colhe mais frutos nessa empreitada é a Ford, que traz o Fusion, um dos sedãs médios mais vendidos no Brasil.

Por serem concebidos, principalmente, para o mercado norte-americano, os carros mexicanos têm acabamento acima da média dos modelos nacionais, além de ofertarem uma extensa lista de acessórios.

A isenção de impostos e a constante queda do dólar frente ao real levou as montadoras brasileiras a mudarem o foco de suas linhas de produção. Diminuindo, gradativamente, a quantidade de modelos mais luxuosos e priorizando a fabricação dos populares.

Além de os modelos populares alinharem com a realidade da maioria dos consumidores brasileiros, atualmente, é mais barato trazer os modelos luxuosos do México que fabricá-los por aqui. Ou seja, a “onda mexicana” tende a inundar ainda mais as ruas brasileiras.

Honda CR-V, Ford Fusion, Chrysler PT Cruiser e Nissan Tiida são mexicanos que também rodam no Brasil

Fonte: G1 Globo Online