Jaguar volta a adotar câmbios manuais para recuperar imagem esportiva

 A Jaguar está planejando introduzir novamente os câmbios manuais em seus modelos dentro de um ano. Segundo declaração de Adrian Hallmark, diretor global da marca, a imprensa européia esta semana, os câmbios manuais podem trazer mais benefícios para a Jaguar em termos de custos e prazer de condução. É provável que o novo câmbio manual faça sua estreia no modelo F-Type, mas também deverá ser introduzido na linha XF.

“Os modelos esportivos necessitam de um câmbio manual para ter mais credibilidade”, comentou Hallmark. O executivo declarou também que a Jaguar está desenvolovendo um câmbio manual com, no mínimo, seis velocidades. Também confirmou que a Jaguar e a Land Rover utilizarão a próxima geração de câmbios automáticos ZF de nove relações.

Hallmark deixa entender, entre linhas, que tem certeza que um modelo esportivo com um bom câmbio manual não tem rival em termos de prazer de condução, caso o motorista-piloto domine bem as técnicas de dirigir esportivamente, conhecendo por exemplo, a maneira correta de fazer o famoso ´punta-taco`, ou seja, freiar e acelerar ao mesmo tempo.

Em termos de desempenho puro não há, realmente, nada mais rápido e eficiente do que um câmbio de dupla embreagem, ou um manual robotizado, com um bom sistema de controle eletrônico. A Jaguar, que depende muito do mercado britânico e norte-americano, se deu conta que uma parte importante de sua clientela de esportivos nos Estados Unidos prefere o câmbio manual.

E se a Jaguar quer voltar a ter uma imagem esportiva, como já teve no passado, e não a imagem de uma marca para ´senhores da Flórida que gostam de jogar golfe`, deve mesmo introduzir um câmbio manual no F-Type.

Para se convencer disso, a montadora britânica voltou os olhos para o sucesso do câmbio manual de sete marchas utilizado no Porsche 911 nos Estados Unidos e Europa, e ao fato de a BMW oferecer como opção um câmbio manual para o M5 nos Estados Unidos.

Ricardo Panessa

Fonte: Auto Estrada