Juros caem para crédito e cheque especial

Soraia de Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

As taxas de juros de boa parte dos bancos foi reduzida neste mês, segundo pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP. Foram consultadas as dez maiores instituições bancárias: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco. A taxa de empréstimo pessoal sofreu redução média de 0.24 ponto percentual, passando de 6,25% ao mês em dezembro do ano passado para 6,01% em janeiro. Os juros do cheque especial retraíram 0.08 ponto percentual. de 9,33% a.m. para 9,25% a.m.

Foram reduzidas as tarifas de empréstimo: Banco do Brasil (1.51 ponto percentual ao mês), Banco Real (0,70 p.p./a.m.), HSBC (0,21 p.p./a.m.) e Caixa Econômica Federal (0,05 p.p./a.m.). As do cheque especial diminuíram: BB (0,63 p.p.) e CEF ( 0,49 p.p.).

Na visão do Procon, só o fato de não aumentarem as taxas já é um bom sinal. “Mas o consumidor deve ter muita cautela ainda, afinal, tem-se uma média de 101% de juros ao ano, no caso do empréstimo, e 189% para o cheque especial”, diz Diógenes Donizete, assistente de direção do órgão. “O correntista tem de refletir se é realmente necessário o crédito”.

Para o professor de macroeconomia da Esags ( Escola Superior de Administração e Gestão), Eduardo Becker, a queda é pouco significativa, mas já é um sinal de que os juros estão baixando. “Existem duas possibilidades para essa redução: ou tem bastante dinheiro circulando – se tenho muita oferta de dinheiro, tenho juros menores – ou a procura por esses tipos de crédito diminuiu, e por isso os juros baixaram”.

Hoje, o Banco Central anunciará a nova taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 13,75%. Especialistas apostam em uma redução entre 0.5 e 0.75 ponto percentual.

Na opinião de Becker, o País se conscientizou que fomos seriamente atingidos pela crise – que não é uma marolinha, visto a quantidade de demissões ocorridas. “Para o consumidor, o melhor é esperar para tomar um empréstimo, pois tudo indica que as taxas de juros vão cair mais”.

O Banco do Brasil, que efetuou as maiores diminuições em suas tarifas – de 6,50% a.m. para 4,99% a.m., os juros de empréstimo e de 8,62% a.m. para 7,99% a.m. para cheque especial – antecipa que o correntista terá, até amanhã, mais uma redução nos juros, acompanhando proprocionalmente a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central).

De acordo com o BB, a instituição vem reduzindo suas tarifas desde o final de novembro, quando os juros futuros e o spread bancário começaram a apresentar queda.

Por outro lado, a Nossa Caixa foi o único banco a aumentar os juros do cheque especial, passando de 8,50% a.m. para 8,80% a.m. A instituição justifica que há meses não alterava suas taxas, e que este se tratou de um ajuste de rotina. Sua taxa de empréstimo pessoal, embora inalterada, permanece sendo a quarta menor do mercado, 4,90% a.m.

Fonte: Diário do Grande ABC