Com velocidade máxima de 328 km/h, McLaren 600LT é lançado no Brasil

São Paulo – No mesmo dia em que a McLaren apresentou seu novo carro para temporada 2019 da F1, a empresa anunciou em São Paulo a chegada do novo modelo 600 LT – o DNA das pistas está totalmente ligado à história dos carros da marca inglesa, muito conhecida dos brasileiros desde o título de Emerson Fittipaldi, em 1974, e especialmente pelo tricampeonato de Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991).

Com 600 cavalos de potência e velocidade máxima de 328 km/h, o McLaren 600LT estabelece uma nova referência como o mais rápido, mais potente e mais focado modelo dos McLaren Sports Series já criado para desempenho em pistas – mas homologado também para circular nas ruas e estradas. Vale lembrar que a empresa também oferece o “Ultimate Series”, com carros de performance ainda mais focada em pista e com mais potência – como o McLaren Senna, de 800hp.

“Estamos ampliando ainda mais nossa família LT – embora em número limitado – e mais uma vez demonstrando o espírito da aerodinâmica otimizada, maior potência, peso reduzido, dinâmica focada nas pistas e melhor engajamento do motorista, que são as marcas de um McLaren ‘Longtail’ (cauda longa, em tradução livre)”, diz Mike Flewitt, diretor executivo da McLaren Automotive.

Medidas extremas para diminuir peso estiveram no centro do programa McLaren 600LT desde o início: construído usando o chassi monocoque leve de fibra de carbono pelo qual a McLaren é reconhecida, o carro se beneficia ainda mais da nova carroceria de fibra de carbono que reduz o peso do veículo e otimiza o desempenho aerodinâmico.

O interior minimalista e focado em pista tem bancos de corrida de fibra de carbono. Com peso total de 1.247 kg, o McLaren 600LT é movido por um motor V8 biturbo de 3,8 litros que se beneficia de um sistema de refrigeração aprimorado e redução da pressão de retorno em um sistema de escape ainda mais curto e mais extremo que o do McLaren Senna. A potência máxima é de 600 HP, com torque máximo de 620 Nm – faz de 0 a 100 km/h em apenas 2.9 segundos.

“Para nós é um grande orgulho trazer mais um carro de uma marca que tem uma história tão profunda para nós, brasileiros, e que ficou ainda mais eternizada com o McLaren Senna”, diz Bruno Bonifácio, gerente geral da McLaren São Paulo.

Assim como o tricampeão mundial de F1, a paixão pela performance extrema e a busca constante do limite devem nortear a McLaren Automotive por muitos anos – inclusive Adam Gron, gerente de marketing e imprensa da McLaren para Oriente Médio, África e América Latina, garantiu aos jornalistas presentes no evento em São Paulo. “Entre os planos para o futuro, uma coisa é certa: não teremos SUV. Nosso foco é outro”, disse Gron – vale lembrar que outras marcas de alta performance acabaram se rendendo aos cada vez mais populares utilitários (caso de Porsche e Lamborghini).