Novo Ford Ka 2019 tem câmbio automático e esbarra nos R$ 60.000

Reestilização leva visual do Ka Freestyle à toda a linha (Foto: Divulgação)

Ka que vende é Ka 1.0. Mas a Ford quer mudar essa história.

Ou, no mínimo, equilibrar a balança. Em 2017, a montadora americana vendeu no Brasil 122.543 unidades do Ka.

No ano anterior (2016), antecipando o bom desempenho, QUATRO RODAS incluiu o modelo em nossa frota de Longa Duração. O compacto rodou 60.000 km e encarou o desmonte.

Agora com motor 1.5 de três cilindros, Ka gera até 136 cv (Foto: Divulgação)

Destes, 92.860 eram equipados com motor 1.0. Agora, com a linha 2019, a marca vai investir para convencer o público de que o Ka pode, sim, encarar a concorrência com motor acima de 1.0.

A estratégia já rendeu boas novidades. Para melhorar a dirigibilidade e também a segurança, a Ford aplicou reforços estruturais e aço de alta resistência. Mexeu também na mecânica.

Ka passa a contar com motor 1.5 de três cilindros e câmbio automático
(Foto: Divulgação)

Sai de cena o antigo motor 1.5 de quatro cilindros. Entra um muito mais moderno, também 1.5, mas com três cilindros.

A potência saltou de 110/105 cv para atuais 136/128 cv. Mas a principal novidade e também a maior arma que a Ford tem para elevação do prestígio do Ka no mercado é o câmbio automático.

Transmissão manual teve melhorias e a caixa está 3 kg mais leve (pesa 30 kg)

Pela primeira vez, essa transmissão é oferecida no modelo. Trata-se de uma caixa convencional de seis marchas, com conversor de torque. Eis a boa notícia: a marca desembarcou da ideia de aplicar o problemático sistema Powershift, que era baseado num conjunto com embreagem automatizada.

Em nosso test-drive, o modelo mostrou bastante desenvoltura: acelera bem e, dentro do que se espera de um automático, não vacila nas retomadas.

<span class=”hidden”>–</span> (Foto: Divulgação)

Se o motorista preferir trocar as marchas (no modo sequencial) por conta própria, terá que se contentar com a tecla +/- na lateral da alavanca da transmissão.

Diante das borboletas atrás do volante ou mesmo das alavancas que se deslocam lateralmente para permitir mudanças manuais das marchas, esse sistema da Ford é pouco prático, exigindo um bom tempo de adaptação.

Mas não pense que a marca vai desistir do Ka 1.0. Pelo contrário. Apesar de assumidamente concentrar seus esforços no 1.5, a versão de entrada – verdadeiro ganha-pão da Ford no Brasil atualmente – segue bem-cuidada.

Mais sofisticado, o Ka pretende encarar segmentos maiores
(Foto: Divulgação)

Os Ka 1.0 2019 também receberam reforços estruturais, mas seguem com o mesmo motor 1.0 três-cilindros.

Não foi dessa vez que passou a contar com câmbio automático (nem há demanda para isso no Brasil), mas sua transmissão manual também é nova.

A nova caixa MX65, assim como a antiga, tem cinco marchas, mas de acordo com a Ford, é cerca de 3 quilos mais leve.

Com carroceria sedã, Ka parte da versão SE (Foto: Divulgação)

No test-drive promovido pela Ford avaliamos todas as combinações de carroceria (hatch e sedã), motor (1.0 e 1.5) e câmbio possíveis (manual e automático).

Os sedãs foram mais convincentes, com surpreendente equilíbrio no contorno de curvas de raio longo.

Desde a versão básica (S), há direção elétrica e ar-condicionado (Foto: Divulgação)

Atual, bem equipado desde as versões de entrada e agora com mecânica mais eficiente, o Ka une performance e baixo consumo. Essa receita, adotada agora pela Ford, tende a dar certo.

Mas é uma fórmula que outras marcas já descobriram faz tempo.

Os preços do Novo Ka 2019

Ka Hatch Ka Sedan
S 1.0 manual  R$ 45.490  –
SE 1.0 manual  R$ 45.990  R$ 49.490
SE Plus 1.0 manual  R$ 48.490  R$ 51.990
SE 1.5 manual  R$ 51.990  R$ 55.490
SE 1.5 automático  R$ 56.490  R$ 59.990
SE Plus 1.5 manual  R$ 54.490  R$ 57.990
SE Plus 1.5 aut.  R$ 58.990  R$ 62.490
SEL 1.5 manual  –  R$ 65.990
FreeStyle 1.5 manual  R$ 63.490  –
FreeStyle 1.5 aut.  R$ 67.990  –
Titanium 1.5 aut.  R$ 68.990  R$ 70.990