Range Rover: com 48 volts a nova geração será mais leve

Range Rover: com 48 volts a nova geração será mais leve

A próxima geração do Range Rover será maior e mais leve. Isso é o que promete a Land Rover com uma nova arquitetura para seu mais luxuoso produto. Diante da crescente concorrência no segmento de alto luxo com Bentley Bentayga, Rolls-Royce Cullinan e os esperados BMW X7, Mercedes-Maybach SUV e Audi Q9, a marca inglesa já prepara sua principal arma para contra-atacar.

Mas, existe o lado bom e o lado ruim dessa história. No primeiro, a nova plataforma chamada MLA será muito mais versátil, permitindo que o Range Rover possa não só manter a oferta de tamanho padrão ou longo, mas ser muito mais leve que a atual D7U, que sabemos ser feita de alumínio. Então, isso significa mais desempenho e eficiência energética no próximo carro.

A MLA agregará mais conectividade a bordo e condução autônoma, tornando o produto ainda mais sofisticado e atraente para os ricos que desejam mais tecnologia. O corte não busca apenas mais economia e performance, mas é devido também ao fato de que o próximo Range Rover, que em 2019 completa 50 anos, carregará motores elétricos e baterias de lítio.

Range Rover: com 48 volts a nova geração será mais leve

A própria estrutura básica do SUV de alto luxo terá sistema elétrico de 48 volts e sistema de partida com motor elétrico impulsionando o carro nos primeiros metros, cruciais no consumo de combustível. A Land Rover pensa em separar a versão 100% elétrica como um modelo diferente, mais focado em quem busca isso, não misturando os canais com a proposta clássica, que deve manter motores a gasolina, diesel e versão híbrida plug-in.

Porém, o lado ruim é que daremos adeus aos motores V6 3.0 diesel e V8 5.0 Supercharged, já que os níveis de consumo e emissão não atenderão mais as exigências legais. Nesse caso, o motor Ingenium 2.0 terá um papel fundamental no momento em que nada acima dele conseguirá se manter. Atualmente o propulsor a gasolina alcança 300 cavalos, bem menos que os mais de 500 cavalos do V8, mas ao associar dois motores elétricos com a diferença, a performance será até superior ao poderoso 5.0.

A plataforma MLA também terá um papel importante no restante da gama. Como é modular, ela permitirá à Land Rover montar as próximas gerações dos carros de tração traseira da marca e da Jaguar, como Discovery, Velar e Range Rover Sport, além dos XE, XF e um futuro XJ, eletrificado completamente, segundo rumores. F-Pace e J-Pace serão outros beneficiados. A revelação dessa base indica que Evoque, Discovery Sport e E-Pace terão futuramente uma arquitetura parecida, mas com motor em transversal.

[Fonte: Autocar]

 

© Noticias Automotivas. A notícia Range Rover: com 48 volts a nova geração será mais leve é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.