Maníacos por Maverick: a paixão resiste ao tempo

Participamos da festa de aniversário de 40 anos do Maverick no Brasil; confira a história de colecionadores e suas raridades

Autor: Guilherme Silva/Foto: Rafael Munhoz
 
No dia 4 de junho de 1973 saía da linha de montagem da fábrica da Ford, em São Bernardo do Campo SP, a primeira unidade do Maverick, um dos automóveis mais emblemáticos da indústria automobilística brasileira. Nascido nos Estados Unidos e trazido ao Brasil para ocupar o espaço que havia na gama da marca entre o popular Corcel e o luxuoso Galaxie, o modelo teve vida curta por aqui, mas deixou uma legião de fãs mesmo após quatro décadas de seu lançamento.
 
No dia em que o clássico da Ford completou 40 anoos o Carsale se juntou a uma legião de fãs do modelo para bater um papo nostálgico com quem mais entende do assunto. O local escolhido para comemorar o aniversário do quarentão foi o Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, onde estiveram presentes cerca de 50 exemplares do Maveco, entre veículos originais, restaurados e customizados. O Carsale conversou com dois fanáticos pelo modelo da Ford, que contaram um pouco de sua paixão e das histórias de seus carros.

Paixão herdada do pai se transforma em livro e em meia dúzia de Mavericks na garagem

O administrador de empresas Paul Gregson, de 44 anos na imagem abaixo, mostrando a cópia de um manual de manutenção que as concessionárias utilizavam na época, pode ser considerado um verdadeiro amante do Maverick por reunir em sua garagem seis unidades do modelo e por ter escrito um livro dedicado ao carro – “Maverick: Um Ícone dos Anos 1970” . Entre as relíquias de Gregson estão uma unidade da versão norte-americana Grabber, que pertenceu ao ex-presidente João Figueiredo, e precisou de uma restauração que levou mais de nove meses para ser finalizada.

“A minha paixão por esse modelo começou quando o meu pai comprou o primeiro Maverick dele, no dia 25 de novembro de 1975. Mantenho esse carro guardado até hoje”, diz Gregson

Outra joia da coleção, e talvez a mais curiosa de todas, é uma perua Maverick que o administrador comprou desmontada em 1999. “Este carro é de 1976 e levou quatro anos para ser totalmente restaurado e ficar no estado atual”, destacou o orgulhoso proprietário da raridade.

Elaborado pela concessionária paulistana Souza Ramos, o modelo era baseado no Maverick sedã de quatro portas e, por conta da dificuldade do processo, a sua produção levava cerca de quatro meses para ser finalizada. “Dizem que entre 150 e 200 unidades foram produzidas, mas eu duvido que tenham feito 100 carros desses por causa da demora da entrega”, explicou Gregson.

Raridade Made in U.S.A.

Entre os cerca de 50 carros expostos no Anhembi, o Maverick Stallion 1976 foto abaixo do comerciante Vinícius Neves, de 38 anos, também se destacava por conta da exclusividade. O modelo foi comprado por US$ 8 mil cerca de R$ 16 mil nos Estados Unidos e levou cerca de um ano para ser importado. “Achei o carro no ebay site de vendas e um amigo que mora na Flórida o guardou para mim até o momento de trazê-lo ao Brasil”.

O Maverick Stallion foi a última série especial a ser produzida pela Ford dos Estados Unidos para substituir a versão  Grabber. O modelo deixava de ser equipado com o lendário motor 302 V8 para ser equipado com um bloco de seis cilindros. No ano seguinte, o Maverick teve a sua produção encerrada naquele país.

O legal de ter carro antigo é que você acaba fazendo muitas amizades. O antigo proprietário deste carro acompanhou o processo de restauração pela internet. Até hoje converso com ele pelo Facebook”, disse Neves. Além d
Fonte: Carsale