Melhor conjunto dá vitória ao Polo

Em duelo de sedãs compactos, o VW tem dirigibilidade e estilo superiores aos do novato Peugeot 207 Passion

Nícolas Borges – O Estado de S.Paulo

Lançado no mês passado, o 207 Passion é o mais novo membro do segmento de sedãs nacionais. Com acabamento caprichado, ele está entre os compactos “premium” e neste comparativo encara o VW Polo Sedan. Os dois têm motor 1.6 flexível.

A versão escolhida do Peugeot foi a XS com câmbio manual, que parte de R$ 46.500. No caso do VW, apesar de o das fotos ser da opção Comfortline (R$ 55.120), tomamos como base a configuração de entrada, a partir de R$ 45.850.

O Polo venceu por ser, acima de tudo, o mais agradável de conduzir. Isso ocorre graças à sua ergonomia superior, que oferece posição melhor de direção, e às suspensões, que dão mais conforto sem comprometer a segurança.

A favor do Polo também está o câmbio preciso. A transmissão do Peugeot melhorou em relação à do 206, com o novo comando por cabos. Mas a caixa da VW está num degrau acima.

Outro ponto positivo do sedã da Volkswagen é o estilo, com linhas mais harmônicas. Já o Peugeot entrega de cara que não nasceu para ter carroceria de três volumes.

Essa foi uma invenção da Khodro, subsidiária da empresa no Irã, que transformou, no início da década, o belo hatch 206 num sedãzinho de gosto discutível, com colunas “C” largas demais, lanternas muito pequenas e uma estranha curvatura na tampa do porta-malas.

O Passion produzido em Porto Real (RJ) é o mesmo carro, mas com dianteira inspirada na do 207 francês.

Quanto ao desempenho, o motor Peugeot 16V gera 9 cv a mais (com álcool). Na prática, a diferença se dilui, pois o torque máximo do VW é 0,1 mkgf superior e aparece antes (algo típico dos propulsores de duas válvulas por cilindro), às 2.500 rpm, contra as 4.000 do 207.

CABINES

Quanto ao interior, os dois são equivalentes, com materiais de boa qualidade. No visual, ambos agradam, mas de modo diferente. O Polo tem desenho claramente alemão, um tanto sisudo. Já o mais vistoso 207 não esconde a origem francesa.

O Passion dá mais espaço para as pernas de quem vai atrás, graças ao túnel central menor. O que compromete a sua cabine é a ergonomia falha. Além de ser difícil achar uma boa posição de guiar, há comandos mal posicionados, como os dos vidros elétricos, escondidos atrás da alavanca de câmbio.

EQUIPAMENTOS

O 207 Passion XS contra-ataca o Polo nos itens de série. A lista inclui alarme, ar-condicionado digital, banco do motorista e volante com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, computador de bordo, direção hidráulica, faróis de neblina, rodas de liga de 15″ e sensor de chuva, além de vidros, travas e retrovisores elétricos.

O Polo Sedan 1.6 entrega só ar-condicionado convencional, banco do motorista com regulagem de altura, computador de bordo e direção hidráulica.

Fonte: O Estado de São Paulo