Mercedes-Benz receberá R$ 1,2 bilhão do BNDES


Cibele Gandolpho
Especial para o Diário

A fábrica de Mercedes-Benz do Brasil vai receber do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) um financiamento de R$ 1,2 bilhão para expandir a capacidade de produção de sua unidade em São Bernardo. O recurso, aprovado ontem pela diretoria do banco, será destinado ao desenvolvimento de motores adequados à nova legislação ambiental e a novos modelos de caminhões leves e médios.

O valor também vai contribuir, segundo o BNDES, para a modernização do centro de distribuição de peças em Campinas e investimentos sociais e ambientais. O novo motor a diesel atenderá às exigências do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, que entrará em vigor em 2012.

O dinheiro ainda vai permitir a construção de três novos prédios para abrigar atividades de manutenção de máquinas, fabricação de protótipos, revisão final de caminhões e fabricação de embalagens.

Os investimentos ambientais contemplam obras civis para criar condições mais adequadas de processamento de materiais e resíduos; ampliação da estação de tratamento de efluentes; e troca de telhas de amianto por telhas em aço galvanizado revestidas com isolante térmico e acústico.

O ambulatório, que atende a cerca de 500 pessoas por dia, receberá recursos para reforma e compra de ambulâncias. Outras melhorias incluem a adaptação de veículos para o Corpo de Bombeiros e modernização do centro do Senai.

EMPREGOS – Com o aumento da produção, a montadora alemã terá de contratar 1,9 mil empregados diretos em São Bernardo até a conclusão do projeto, em 2011. Com os investimentos, a montadora pode produzir 67 mil veículos por ano, meta já atingida em junho de 2009. Anteriormente, a capacidade era de 55 mil veículos.

A fábrica foi inaugurada em 1956 e é a maior fora da Alemanha. Em 2009, a montadora manteve sua liderança no setor de veículos comerciais no Brasil com a produção de 34.300 caminhões e 18.970 ônibus e a venda de 39 mil caminhões e 12 mil ônibus

Fonte: Diário do Grande ABC