Mini, não! Lifan 320


Chinês não é inglês. Inclusive no preço

Hairton Ponciano Voz // Fotos: Fabio Aro

Recebi um e-mail de Érico Verissimo, pedindo uma avaliação do Lifan 320, segundo ele “um carro que copia o estilo do Mini, mas com preço de Celta e interior mais atraente que Palio e Gol”. Saí em busca de um carro desses para ver se a definição era pertinente. Obviamente, não estamos falando do autor de Incidente em Antares, mas de Érico Costa Verissimo, leitor de Autoesporte. E, assim como os Veríssimos não devem ser confundidos, o Lifan 320 não é o Mini.

Dirigi o pequeno hatch chinês apenas por alguns quilômetros. Como a empresa ainda não tem carro para teste, recorri à concessionária Biguasul (11 3611-6300), primeira autorizada da marca em São Paulo. Nas ruas, ele chama tanta atenção como o original inglês, por praticamente um terço do preço (R$ 29.980, ante R$ 89.700). Quando paramos para as fotos, teve gente que fez mais cliques do carro que o Fabio Aro, nosso fotógrafo. Portanto, no quesito visual o 320 causou!

Mas o que ele oferece por esse preço? Tudo! De série, vem com duplo airbag, freios ABS, trio elétrico, ar-condicionado, direção hidráulica, faróis auxiliares, rodas de alumínio (14), etc. O banco e a coluna de direção não têm ajuste de altura, mas as luzes de freio têm leds. O hatch só não vem com as faixas e as rodas 17 desse carro aí das fotos.

Painel é estiloso, mas o acabamento é simples. O quadro de instrumentos alia velocímetro digital e conta-giros analógico
O painel é de plástico rígido, mas tem estilo agradável: o quadro de instrumentos traz velocímetro digital e conta-giros analógico. O acabamento é um ponto fraco. Os apoios de braço, nas portas, são de plástico rígido e liso. Na unidade avaliada, o retrovisor interno estava mole demais para um carro tão novo. O chassi, aliás, é número 001: andamos no primeiro 320 a sair da linha de montagem, no Uruguai.

O motor 1.3 16V de 88 cv até que dá conta do recado (o carro tem 950 kg), mas a alavanca de câmbio é meio “boba”. Dá impressão de que o trambulador está solto. O isolamento acústico não é dos melhores, mas a suspensão traseira é independente. A garantia é de um ano.

Fonte: Auto Esporte