Momento é bom para comprar zero-km

Incertezas sobre o IPI, juros baixos e prazos longos atraem consumidores

Marcelo Fenerich e Michel Escanhola – O Estado de S.Paulo

Na semana passada governo e montadoras começaram a discutir a possibilidade de manter a redução do IPI para veículos – o prazo inicial vai até o próximo dia 31 de março. Aliada à queda dos juros e aos planos de financiamento longos, vários deles sem entrada, faz com que o atual momento seja bom para quem está de olho em um zero-km. Na dúvida, muita gente decidiu aproveitar e antecipou a compra do carro novo.

É o caso do representante comercial Dirley Pires de Freitas, que decidiu não pagar para ver se a redução do IPI será mantida. Na terça-feira passada, ele fechou negócio num hatch Ford Fiesta 1.0 novo.

Além de levar exatamente a versão que queria, Freitas vai pagar da forma que pode. Ele financiou o valor integral do veículo (R$ 27.500) em 60 parcelas sem nenhuma entrada.

“Há poucos meses esse carro custava mais de R$ 30 mil e conseguir um financiamento que coubesse no bolso estava difícil. Agora, além da redução de quase R$ 3 mil, o prazo para pagar também ficou maior.”

A advogada Alessandra dos Santos, que pretendia trocar de carro só no segundo semestre, já pensa em antecipar a compra e começou a pesquisar preços nas concessionárias. “Vi algumas coisas interessantes e talvez compre antes de sair essa decisão sobre o IPI”, diz.

A gerente de vendas da autorizada Ford Sonnervig, Monique Fontana, afirma que casos como o de Alessandra são cada vez mais frequentes. “A dúvida sobre a prorrogação dos descontos até virou argumento de venda. É um ótimo momento para comprar.”

MAIS CRÉDITO

A turbulência no cenário econômico ainda não acabou, mas está bem mais branda. A oferta de crédito, ao menos, ficou mais próxima do que era antes da crise. Com isso, as lojas voltaram a oferecer financiamentos longos, sem entrada e com taxas de juros menores. “Ninguém pode afirmar que teremos um momento melhor do que este”, afirma Miguel José de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac).

Ele explica que, do ponto de vista financeiro, esta é a hora certa para se comprar veículos novos. Mas avisa: “Isso só vale para aqueles que têm garantia de emprego. A crise financeira ainda não acabou.”

O caminhoneiro Alcione Selau sabe bem disso. Sem pressa para trocar de carro, ele está pesquisando o melhor preço de um Ford EcoSport 1.6. “Não vou me endividar porque a redução do IPI pode acabar. Prefiro esperar um pouco mais para ter o dinheiro na mão, mesmo que o preço do carro suba novamente. Dever para banco é sempre igual, com ou sem IPI.”

O especialista em matemática financeira Marcos Crivelaro concorda com Selau. Ele afirma que muitas lojas estão aproveitando o suposto fim da crise para queimar os estoques.

Sobre os juros, Crivelaro diz que as taxas devem ser de, no máximo, 2% ao mês. “Também é importante evitar empréstimos pessoais.” Ele alerta também que planos muito longos podem reduzir a vantagem dos juros baixos.

Fonte: O Estado de São Paulo