Montadoras demitem mais de mil no ABC


Em protesto, trabalhadores fazem greve na
Volkswagen e Mercedes-Benz

SUELI REIS, AB

O ano começou turbulento na região do ABC
Paulista: duas montadoras,
Volkswagen
e Mercedes-Benz,
seguem a quarta-feira, 7, com suas fábricas paradas após o anúncio de demissão
de 1.044 trabalhadores. No caso da VW, com assembleias realizadas nos três
turnos, 8 mil funcionários mantêm os braços cruzados na unidade Anchieta –
responsável pela produção de Gol e Saveiro – desde terça-feira, quando todos os
trabalhadores retornariam das férias coletivas. O sindicato dos metalúrgicos da
região decidiu entrar em greve por tempo indeterminado em protesto contra a
demissão de 800 trabalhadores.

A demissão foi comunicada pela montadora por meio de telegrama. Informações
obtidas por Automotive Business confirmam que alguns funcionários já
receberam cartas em dezembro, dias antes do Natal.

Por meio de sua assessoria, o sindicato informa que os 6 mil trabalhadores do
primeiro e segundo turnos permaneceram na unidade, mas sem trabalhar. Já os 2
mil funcionários do terceiro turno têm a opção de ficar em casa e comparecer na
empresa nos demais turnos. Ainda de acordo com o sindicato, até o início da
tarde de quarta-feira, não houve contato por parte da montadora para chegar a
um acordo sobre a paralisação.

Já no caso da Mercedes-Benz o sindicato afirma que dos 750 funcionários
mantidos sobre o regime de layoff suspensão temporária do contrato de
trabalho, 244 não tiveram o contrato renovado. Em assembleia realizada na
quarta-feira durante os dois turnos, os funcionários decidiram entrar em greve
por 24 horas em protesto às demissões. Por sua vez, a montadora afirma em
comunicado que são 160 os demitidos e acrescenta que prorrogará até 30 de abril
deste ano o layoff de 750 trabalhadores de São Bernardo do Campo e de 170 da
unidade de Juiz de Fora MG, desta vez com 100% dos custos assumidos pela
própria empresa, pois o layoff legal, com parte dos salários pagos pelo
governo, tem validade máxima de cinco meses.

A nota informa também que cerca de 100 trabalhadores aderiram ao programa de
demissão voluntária PDV no período de 14 de novembro

Fonte: Automotive Business