Montadoras fazem apelo dramático

Ontem, os executivos de duas das três grandes empresas de Detroit pedem ao Comitê Bancário do Senado que evitem “uma catástrofe econômica”.

Agência Estado – 18/11/2008 – 22h17

A Casa Branca espera conseguir um acordo com o Congresso ainda nesta semana para negociar uma forma de resgatar a indústria automotiva. Ontem, os executivos de duas das três grandes empresas de Detroit, as maiores montadoras dos Estados Unidos, fizeram um apelo dramático ao Comitê Bancário do Senado, para evitar “uma catástrofe econômica”.

O executivo-chefe da Chrysler, Robert Nardelli, revelou que sua companhia corre o risco de ficar sem dinheiro se não receber ajuda. Nardelli se juntou aos executivos das GM e da Ford Motor para pedir US$ 25 bilhões em empréstimos.

Governo e parlamentares concordam com a ajuda, mas diferem quanto a forma. Para os democratas, os US$ 25 bilhões devem vir do plano de resgate de US$ 700 bilhões. Para o governo Bush, esse pacote deve socorrer apenas as instituições financeiras.

A crise também levou executivos das maiores montadoras da União Européia (UE) a baterem à porta dos governos com o pires na mão. Enquanto a Opel, subsidiária da GM, negocia com o governo da Alemanha um plano de 1 bilhão de euros, a Associação Européia dos Construtores Automotivos (Acea) pede à Comissão Européia um pacote de 40 bilhões de euros para seus 15 membros. Bruxelas deve anunciar um plano hoje.

Fonte: Diário do Comércio