Montadoras investem em novos aromas para carros

Foto divulgação                              Renault Communication                        Renault Communication                        O famoso ´cheiro de carro novo´ é um item cada vez mais estudado pelas montadoras.
Para inovar, a Ford investiu este ano numa nova essência para aromatizar o EcoSport.

LUCIANA MASTROROSA

O novo Ford EcoSport ganhou essência de flor de maracujá, cardamomo e cravo para ser aplicada na parte externas do veículo (Foto: Divulgação)
Comprar um carro novinho é sempre um prazer para os que gostam de automóveis. Ao entrar no veículo, o dono logo repara: “que cheirinho de carro novo”. O cheiro varia levemente de marca para marca, mas em geral possui as mesmas características.

Tentando agradar ao público, as montadoras têm investido cada vez mais no desenvolvimento de aromas que sejam agradáveis para o usuário, sem prejuízo para a saúde.

O que cria esse aroma dentro do carro recém-saído da fábrica é uma mistura de odores provenientes das peças do acabamento interno do veículo, e as resinas e colas utilizadas na produção dos carros.

Este ano, a Ford resolveu inovar e usou essências de flor de maracujá, cardamomo e Eugenia caryophyllus, o popular cravo-da-índia, para aromatizar a parte externa do novo EcoSport.

A Renault criou uma unidade de estudos dos sentidos no Departamento de Engenharia de Materiais (Foto: Renault Communication)
“Esse aroma traz uma incrível sensação de liberdade e contato com a natureza, sem perder a conexão com os conceitos de tecnologia e modernidade. O aroma está conectado à vida, à alegria e à liberdade. É jovem, expressivo, marcante e feliz”, explicou Rode Alves, supervisora de marketing da Ford Motor Company Brasil. A idéia era atrair o consumidor “por meio de um aroma exclusivo produzido para este veículo”, explicou.

De acordo com a montadora, o aroma foi produzido inicialmente para criar um “ambiente EcoSport” nos showrooms dos distribuidores na marca, aplicado em forma de sachê pendurado no exterior dos carros. “No entanto, durante sua produção, sentimos a necessidade de desenvolver novas formas para sua aplicação. Por isso, produzimos frascos com a fragrância e também filipetas de papel para serem distribuídas aos consumidores com o aroma exclusivo do Mundo EcoSport”, contou a supervisora.

Apesar do investimento na criação de novas fragrâncias para carros, a Ford tem a preocupação de manter o tradicional cheiro de carro novo em todos os seus produtos. “Este cheiro faz parte do cotidiano do brasileiro. É por isso que o aroma exclusivo do Mundo EcoSport foi produzido para ser aplicado apenas no exterior do carro e nunca em seu interior”, disse Rode Alves.

Investimento nos sentidos

De acordo com a supervisora da Ford, a idéia de criar um cheiro exclusivo para o carro veio do conceito de “Viver Sensações” proposto pela marca. “O objetivo era fazer com que o consumidor pudesse vivenciar diferentes sensações durante a campanha, explorando sentidos como visão, tato, audição e olfato”, explicou.

Investindo no mesmo conceito, a Renault também dispõe de uma unidade especializada no Departamento de Engenharia de Materiais para determinar o que agrada mais não só ao olfato, mas também ao tato, visão e audição do público.

Segundo a empresa, o odor característico que emana da cabine de um carro novo precisa de atenção especial. Para isso, a montadora criou um método próprio de medição sensorial, baseado no prazer e na descrição, que é aplicado em pessoas recrutadas entre os próprios funcionários da empresa, garantindo sigilo.

Nos testes da Renault, as pessoas não apenas dizem se gostam ou não do odor do que estão testando, mas também dão notas para cada um dos itens avaliados. Depois dessa avaliação com os correspondentes aos potenciais consumidores, especialistas em análises sensoriais fazem novos testes, voltados para uma avaliação mais precisa – baseada em longos treinamentos e com uma espécie de alfabeto sensorial desenhado para orientá-los.

Fonte: G1-Globo Online