MWM International se prepara para 2015 difícil

Fabricante planeja 33 lançamentos ao longo do
ano em diferentes segmentos

SUELI REIS, AB

Thomas Püschel, diretor de vendas
e marketing da MWM International

Após um 2014 conturbado para o
principal setor em que atua, o de veículos comerciais pesados, a MWM
International
arregaça as mangas para encarar 2015: a fabricante de motores
diesel
planeja 33 lançamentos para seus clientes ao longo deste ano, dentro
de todos os segmentos que atende, caminhões, ônibus, os fora de estrada, como
máquinas agrícolas e de construção, além de geradores de energia. O volume
representa um aumento de 50% com relação aos lançamentos realizados no ano
passado, que somaram 22 novas aplicações.

Desenvolvidos pela equipe da MWM no centro tecnológico da companhia em sua
unidade da capital paulista, no bairro de Santo Amaro, os motores têm alto
índice de conteúdo local e permitem customização de acordo com a necessidade de
aplicação.

“Com o aumento da demanda por conteúdo local, entrada crescente de newcommers
no mercado brasileiro e a necessidade dos clientes por soluções completas, esta
flexibilidade que temos em todas as linhas de produtos certamente é um grande
diferencial”, afirma Thomas Püschel, diretor de vendas e marketing da MWM
International. O executivo acrescenta que com a expansão de seu portfólio, a
empresa atende de forma personalizada, tanto os novos projetos de clientes
atuais como os de novos clientes.

Os novos produtos representam um novo fôlego para a empresa, que viu sua
produção recuar de 121,7 mil unidades em 2013 para quase 100 mil no ano
passado.

“Para 2015 esperamos um desempenho similar ao de 2014, com viés de baixa”,
projeta Püschel. Ele aponta que fatores como taxas mais altas do Finame PSI,
que apesar de ainda atrativas, não financiam mais 100% do bem e a iminente
crise nas obras de infraestrutura do País vão influenciar diretamente no
mercado de veículos pesados neste ano. “Mesmo o agronegócio, com expectativa de
novo recorde, não deve ser um fator que vá gerar alguma retomada significante
para 2015. Talvez o projeto nacional de renovação de frota, esperado para o
segundo semestre, possa gerar alguma retomada, mas volumes significativos só no
ano seguinte. Este será um ano de ajuste em muitos aspectos: prevemos um
cenário melhor para 2016.”

Em meio a tantos desafios, a companhia destaca as exportações, que em 2014,
representaram 8% dos negócios: “O câmbio como está hoje nos favorece.
Registramos negócios importantes com os mercados do Egito, México, Turquia e
outros. Vamos continuar atendendo outros mercados e expandindo nossa atuação.”

O segmento de geração de energia também deve se mostrar um alento para 2015. As
chuvas abaixo do esperado já começam a afetar a geração hidrelétrica, o que
pode demandar mais geradores diesel. O aumento do custo da energia elétrica é
outro fator que pode alavancar os negócios de motores estacionários geradores
de energia elétrica.