NHTSA quer caixa-preta em veículos de rua


Entidade dos EUA busca informações precisas sobre ações do motorista
NHTSA avalia obrigatoriedade do uso de caixa preta em veículos comuns

Márcio Murta

Após os acidentes causados por veículos com defeitos em série nos Estados Unidos, a entidade norte americana que zela pela segurança do tráfego de automóveis, NHTSA (National Highway traffic Safety administration), está cogitando a possibilidade de tornar obrigatório o uso de caixa-preta em todos os veículos novos. O componente (resistente a água, fogo e a fortes impactos), também utilizado em aviões, seria responsável por gravar os dados de bordo do veículo, bem como a atuação do motorista em todos os comandos deste, antes de uma colisão.

Atualmente, os automóveis equipados com airbag nos EUA possuem um computador de bordo que registra quais ações estavam sendo tomadas pelo motorista a até 5 segundos antes do sistema de airbag ser ativado – o que significa um acidente. A NHTSA, entretanto, avalia a obrigatoriedade da instalação do gravador blindado capaz de memorizar o funcionamento do veículo por longos períodos, de modo a avaliar com maior profundidade o as ações do motorista, caso uma colisão ocorra.

O componente avançado, entretanto, custa em média US$ 4.000 (R$ 7.240) a US$ 5.000 (R$ 9.000), cerca de duas a três vezes mais que o gravador que equipa veículos com airbag atualmente – valor que será acrescido no preço final do automóvel. Atualmente a regulamentação da NHTSA obriga que, até 2015, todos os veículos novos sejam equipados com o componente que auxilia a encontrar os motivos de uma casualidade, embora não seja especificado qual tipo do aparelho terá que ser utilizado.

Fonte: Terra Carro Online