Nissan parte para segunda fase no Brasil com o Livina

A Nissan passou um bom tempo como uma marca meio apagada no mercado brasileiro. A fábrica, compartilhada com a Renault, em São José dos Pinhais (PR), e inaugurada sete anos atrás, parecia um patrimônio meio esquecido. Mas desde que o presidente mundial do grupo Renault/Nissan, Carlos Ghosn, anunciou, há um mês, o projeto de produção de um novo automóvel da marca no Brasil, a Nissan começou a ganhar mais visibilidade no mercado brasileiro. No comando do que a empresa considera a segunda fase da marca no Brasil, que deve levá-la a um novo patamar no mercado interno já em 2010, está um jovem físico francês. Thomas Besson, presidente da Nissan Mercosul desde abril de 2005, está entusiasmado com a fase que começa agora. O executivo classifica esse novo momento como um período de “fortes ambições” para a sua empresa. A participação da marca japonesa nas vendas do país não chega a 0,7%, se for considerado o mercado total de veículos de passeio. Sobe para 2,55% se a análise levar em conta somente os segmentos de mercado em que atua até o momento. A montadora é voltada, no Brasil, para o segmento de utilitários. A esperança de uma nova projeção chegou com o anúncio do veículo que começará a ser fabricado em São José dos Pinhais em 2009. (Valor Econômico)

Fonte: Boletim Autodata