Nissan Tiida e Renault Duster recebem 4 estrelas em teste de Latin NCAP

 Ambos levam apenas 2 estrelas no quesito proteção para crianças
SUELI REIS, AB
O Nissan Tiida sedã fabricado e vendido no México elevou sua classificação de segurança em novo teste de colisão realizado pelo Programa de Avaliação de Veículos Novos para América Latina e Caribe, o Latin NCAP, que também avaliou o Renault Duster produzido e adquirido na Colômbia e cujos resultados foram apresentados na quarta-feira, 30.O Tiida alcançou quatro das cinco estrelas possíveis no quesito proteção para adulto, superando as duas estrelas que levou em teste anterior realizado no início do ano, quando não era equipado com airbag nem pré-tensionadores de cintos de segurança. Por causa deste resultado, a montadora decidiu incrementar a versão básica, equipando-a com airbag duplo e pré-tensionadores de série a partir deste mês, quando patrocinou o teste do Latin NCAP. E embora tenha sido considerado com estrutura estável, a avaliação para proteção infantil dedicou apenas duas estrelas ao modelo. “A incorporação do equipamento de segurança de duplo airbags e pré-tensionadores de cintos de segurança por parte da Nissan é alentador”, disse Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP durante a apresentação dos vídeos de testes. Por sua vez, o Renault Duster versão básica fabricada e adquirida pelo Latin NCAP na Colômbia é oferecida atualmente com apenas um airbag, o do motorista. Conseguiu também quatro estrelas para proteção de ocupantes adultos e duas estrelas para proteção de ocupantes infantis, sendo catalogado como estável. No teste frontal, a avaliação mostra que o modelo apresenta uma proteção média às zonas peitorais dos dois passageiros adultos. Pelo fato de não contar com airbag, o passageiro acompanhante poderia ter impactado sua cabeça contra o painel. O modelo também apresentou grande dificuldade para abertura da porta do motorista após o teste, sendo necessário o uso de ferramentas. Segundo o Latin NCAP, o manual do modelo indica que existe uma versão equipada com ancoragens Isofix para os sistemas de retenção infantil, contudo, a unidade testada pelo Latin NCAP não tinha essas ancoragens. Na Europa, vendido sob a marca Dacia, o modelo oferece por lá dupla proteção frontal e lateral, ancoragens Isofix e controle eletrônico de estabilidade ESC de série em sua versão mais básica. “É muito decepcionante ver modelos iguais, como a Duster, vendidos com menos equipamento de segurança na América Latina que na Europa. Infelizmente, a proteção do ocupante infantil é ainda muito baixa na região. O Latin NCAP aumentará seus requisitos de testes em 2016 para ajudar a elevar a segurança infantil e para que seja uma prioridade para os fabricantes”, comentou Furas. “Dou as boas-vindas à iniciativa dos fabricantes que fazem questão de atingir boas qualificações para os ocupantes adultos, aprimorando os equipamentos das versões padrão oferecidas aos consumidores. Ao contrário, decepciona-me saber que esses fabricantes destinam, apenas, os esforços aos ocupantes adultos relegando, totalmente, a segurança infantil. Fico preocupada, também, ao saber que são gerados resultados de duas estrelas, e pergunto-me se eles deixariam que seus filhos viajassem nesses carros que não proporcionam boa proteção em uma batida. Em outras regiões do mundo os fabricantes se importam com a segurança infantil, e na América Latina e no Caribe isso não é uma prioridade para eles. Tomara que esta triste realidade seja modificada logo”, comentou María Fernanda Rodríguez, presidente do Latin NCAP. Esta foi o quarto resultado apresentado pelo Latin NCAP neste ano. Até o fechamento de 2015, serão mais duas, uma em novembro, na ocasião da ‘Segunda Conferência de Alto Nível Mundial sobre Segurança Viária: hora dos resultados’, que será realizado em Brasília, e a última em dezembro.
Fonte: Automotive Business