China: governo pode impor regras de qualidade do ar em automóveis

China: governo pode impor regras de qualidade do ar em automóveis

Fonte / Noticias Automotivas

O coronavírus vai impactar o desenvolvimento de carros nos próximos anos. Isso é algo que as montadoras já estão considerando, especialmente no design dos automóveis. Porém, a primeira mudança de fato deverá começar pelo aparelho de ar condicionado e materiais de acabamento.

De acordo com o site Automotive News Europe, o governo da China já considera impor regras para qualidade do ar a bordo dos automóveis.

A iniciativa é vista com preocupação no setor automotivo, uma vez que isso acarretaria em aumento dos custos no desenvolvimento e produção de veículos.

China: governo pode impor regras de qualidade do ar em automóveis

A preocupação chega mesmo aos fornecedores, que teriam de rever o projeto e processo de produção de peças e componentes.

Para a China, a qualidade do ar em automóveis está se tornando algo imprescindível, visto que muitas pessoas decidiram abandonar o transporte público devido ao alto risco de contaminação.

Sentindo-se mais seguros dentro dos carros, os motoristas podem estar sujeitos ao vírus enquanto acreditam que os aparelhos de ar condicionado e a vedação do ambiente do veículo, seja suficientes para reter a doença.

O que se fala nos bastidores é que Pequim pode impor regras mais duras para quem os carros atinjam determinado nível de proteção contra vírus presentes no ar.

Desde 2011, a China assumiu uma certificação de qualidade ambiental nos carros, porém, trata-se de algo protocolar, sem obrigatoriedade de ser aplicada.

China: governo pode impor regras de qualidade do ar em automóveis

O governo local já impôs um limite de emissão para os carros, mas se esqueceu que o país é atingido por surtos virais cada vez mais perigosos (como os países vizinhos) e a Covid-19 acendeu o debate sobre o assunto.

Após a reabertura, os compradores chineses passaram a considerar mais os carros que tinham proteção contra vírus e bactérias, sendo esse o principal argumento para definição de compra. Isso pode se acentuar nos próximos meses, já que um novo vírus proveniente de porcos, foi identificado no país.

[Fonte: Auto News Europe]