Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

A próxima geração do Golf vai aparecer no mês que vem e terá adiante sua própria interpretação do esportivo híbrido plug-in GTE, que deve chegar ao mercado nacional também em outubro, mas em lote de 100 exemplares e ainda na sétima geração.

Apesar disso, o caminho para a sedimentação da eletrificação terá começado no Brasil. Lá fora, no entanto, a abordagem da Volkswagen com a proposta híbrida esportiva chegará na forma de duas opções de potência para o GTE.

Frank Welsh, membro do conselho de administração da Volkswagen para pesquisa e desenvolvimento de produto, disse à revista inglesa Autocar:  

“O GTI de hoje tem 245 cavalos, portanto o GTE também deve ter 245 cavalos, portanto o GTE é realmente um GTE. Mas há algumas pessoas que só querem ficar com um híbrido de plug-in semelhante ao de hoje, e é por isso que também oferecemos o 204 cavalos. Ele vem sem o acabamento GTE e apenas aparece como um Golf normal.”

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Ou seja, a versão mais fraca deve portar uma identidade abaixo do GTE, como um R-Line, por exemplo, mantendo o powertrain híbrido plug-in atual, que consiste no motor EA211 1.4 TSI de 150 cavalos e 25,5 kgfm com o motor elétrico dentro do câmbio, entregando 102 cavalos e 35,7 kgfm.

O GTE atual pode rodar 50 km no modo elétrico e tem consumo médio equivalente a 66,2 km/l. Com a versão mais potente, provavelmente essa energia extra sairá de um motor elétrico mais potente, que fará um acréscimo de 40 cavalos ou então seria empregado o EA888 2.0 TSI com 190 cavalos e 32,6 kgfm de ciclo Miller com um elétrico de 115 cavalos no lugar daquele de 102 cavalos.

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Espera-se também pelo aumento de força do Golf GTI para a base de 245 cavalos, ficando versões mais poderosas com algo em torno de 300 cavalos. Na outra ponta, comenta-se que o Golf VIII terá dois sistemas micro-híbridos de 12V e 48V, sendo o primeiro usado em motores 1.0 TSI e 1.5 TSI, além do diesel 1.5 TDI.

Fala-se até no uso do motor 1.0 MPI (isso mesmo, sem turbo), onde a tecnologia MHEV compensaria a ausência do compressor com um motor de arranque/alternador mais potente. Infelizmente, talvez, o Golf GTD não encontre um lugar ao sol, mas um 2.0 TDI de 245 cavalos é completamente alcançável, desde que seja micro-híbrido de 48V, pelo menos.

[Fonte: Autocar]

© Noticias Automotivas. A notícia Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.