VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

Fonte: Autoblog

A Volkswagen vem de uma sequência de lançamentos bem-sucedidos desde o Polo, passando pelo Virtus e T-Cross. Com o Nivus, embora ainda em seus primeiros quilômetros, a tendência é dar continuidade ao sucesso da plataforma MQB-A0 no Brasil.

O próximo passo, no entanto, vai para um segmento acima dos compactos e sem a versão menor da MQB. O projeto Tarek será a consolidação do plano da VW de investir em novos produtos, especialmente utilitários esportivos, para alcançar a liderança, tirando o posto da GM. Pelo menos em junho ela conseguiu, mas a batalha está longe de terminar.

Novo projeto global da VW, o Tarek terá algumas poucas diferenças em relação ao Tharu chinês e será fabricado na Argentina, Rússia, México e, naturalmente, na própria China, junto com o irmão atual, feito pela SAIC-VW. Ou seja, esse outro será da FAW-VW.

No país vizinho e nessas regiões, o Tarek sairá com outro nome, que deve ser divulgado internacionalmente entre fim de julho e começo de agosto. Com exceção da Europa e Índia, o novo SUV da VW terá um alcance muito grande, indo dos EUA até a China, passando pela América Latina e Eurásia.

Por aqui, saindo de General Pacheco, o Tarek terá um conjunto propulsor “padrão” com motor 1.4 TSI de 150 cavalos e 25,5 kgfm, além de câmbio Tiptronic de seis marchas. Tirando este último, o conjunto é o mesmo do Tiguan, que será reposicionado.

VW Tarek prepara chegada com retorno aos testes na Argentina

Espera-se pelo 2.0 TSI de 220 cavalos, porém, o Tarek precisa encontrar seu espaço entre o T-Cross e o Tiguan, especialmente em relação à este. Ele já nascerá com pouco espaço para manobra (preço), visto que o SUV mexicano impõe uma forte presença e tem a mesma mecânica.

O ideal, nesse caso, seria o Tiguan subir para o 2.0 TSI de 186 cavalos e ciclo Miller, tornando-se um produto pouco mais diferenciado em relação ao Tarek, pois, caso contrário, será apenas um irmão de sete assentos do argentino. Aliás, Puebla dividirá sua linha entre os dois.

Caso a estratégia comercial do Nivus se repita com o Tarek, as coisas para o Tiguan devem se complicar um pouco mais. Embora com menos capacidade para bagagem, o argentino tem a mesma plataforma e atende no mesmo segmento, embora com 4,45 m ante os 4,79 m do mexicano.

Ainda assim, para quem considera o Tiguan grande demais e não necessita de todo seu bagageiro ou de sete assentos, o Tarek será uma opção atraente. Olhando para apenas esse diferencial, parece que nessa hora, um Tarek Coupé seria algo melhor para o tradicional SUV alemão.