Nova linha Gol: a VW reage

  A Volkswagen adiou o lançamento da nova geração do Gol – culpa da crise. A nova linha traz mudanças estéticas, novo interior e a novidade do motor 1.0 três cilindrosPor Jorge MeditschAs novas versões do Gol e do Voyage estão chegando às concessionárias da Volkswagen, com a missão nada fácil de tentar recuperar o terreno perdido para os modelos concorrentes. Após 26 anos como o modelo mais vendido no mercado brasileiro, o Gol escorregou para a quarta posição, levando junto consigo o segundo lugar em vendas da Volkswagen.Uma nova geração do Gol era o que se esperava para este ano, mas o andamento desse projeto foi retardado pela crise, que não encoraja investimentos no país. Por enquanto, a Volkswagen optou por uma reforma visual, um grande aperfeiçoamento no interior e na oferta de uma maior gama de equipamentos de comunicação e entretenimento. Paralelamente, promoveu algo inédito para a marca: uma redução nos preços – 2,5% em média para a linha Gol e 5,7% para o Voyage.Novo 1.0: avançoEm termos de carro, aa grande novidade da nova linha Gol-Voyage é a adoção do motor 1.0 com três cilindros e injeção direta de combustível, o mais avançado fabricado no Brasil atualmente. Um trunfo que, bem explorado, pode ajudar a VW na tentativa de recuperação. Com 75 cv, usando gasolina, e 82 cv com álcool, além de um desempenho maior em relação ao antigo 1.0 quatro cilindros é muito mais eficiente em termos de consumo, podendo, segundo a fábrica, ser até 11% mais econômico. A linha continua a contar, também, com a opção do motor 1.6, que além do câmbio manual, é oferecida opcionalmente com a transmissão automatizada I-Motion nas versões Comfortline e Highline.Design: por dentro e por foraEm termos visuais, os novos Gol e Voyage foram atualizados conforme a versão mais recente da linha visual da Volkswagen, e estão mais parecidos com o Golf e seus derivados. Isto deu ao carro um ar ligeiramente mais dinâmico mas, pelo menos durante o teste de avaliação que realizamos, as modificações não são percebidas nas ruas à primeira vista. A Volkswagen manteve sua posição conservadora nesse aspecto.O que melhorou muito foi o interior dos carros, uma área em que a Volkswagen sempre se mostrou superior à concorrência. Nesse ponto, a nova linha também ficou mais próxima do Golf, trazendo um design mais dinâmico, embora clássico. O painel foi totalmente redesenhado e o carro pode contar, também, com o volante multifuncional, com vários comandos incorporados. A qualidade dos materiais usados, suaves e agradáveis ao toque, se destaca ao lado do acabamento, que pode ser considerado excelente para a categoria.O equipamento de série também foi ampliado e democratizado: o Gol e o Voyage passam a trazer de série, desde a versão de entrada com os motores 1.0l e 1.6l até as configurações topo de linha, direção hidráulica, vidros dianteiros com acionamento elétrico, travamento central e abertura interna da tampa do porta-malas.Informação e entretenimentoInfotainment parece ter se tornado uma palavra mágica para os departamentos de marketing da indústria automotiva e a Volkswagen embarcou de vez na onda da eletrônica embarcada, oferecendo novos sistemas de conexão e espelhamento de celulares inteligentes, reunidos sob a designação Volkswagen App-Connect. Há várias opções, variando com as versões, que podem se adequar em maior ou menor grau à preferência dos compradores. A dúvida, apesar da convicção dos marqueteiros, é até que ponto a perfumaria midiática ajuda a definir a intenção de compra do consumidor.Série especialPara marcar o lançamento da nova linha, a Volkswagen criou uma edição especial, o Gol Connect, na cor “Azul Lagoon”. A cor é destacada também no painel e novos tecidos dos bancos. O Gol Connect está equipado com a central multimídia topo de linha Discovery Med
Fonte: Auto Estrada