Nova regra zera alíquota de 35% de tributo para automóveis elétricos

 Resolução federal é referente ao Imposto de Importação e exige autonomia mínima de 80 km com uma carga das baterias
Por Alessandro Reis
Resolução publicada ontem 27 pela Camex Câmara de Comércio Exterior no Diário Oficial da União isentou da alíquota de 35% do Imposto de Importação os automóveis movidos unicamente a eletricidade ou hidrogênio, desde que tenham autonomia mínima de 80 km com uma única carga das baterias ou um abastecimento.
A medida é válida para veículos importados com essas características prontos, desmontados ou montados parcialmente. O benefício já está em vigor.
Veículos híbridos mantêm alíquota de 0% a 7% do imposto
Os modelos híbridos, que combinam propulsão alternativa geralmente elétrica com motor a combustão, mantêm a alíquota entre 0% e 7%, a depender da eficiência energética e do tamanho do propulsorconvencional.
Na cidade de São Paulo,elétricos e híbridos são dispensados do rodízio municipal e têm desconto de 50% no IPVA Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores. Alguns estados brasileiros também concedem essa isenção.
Atualmente, o único automóvel puramente elétrico vendido a pessoas físicas no Brasil é o BMW i3, disponível por preço inicial na faixa dos R$ 230 mil. A Nissan também tem o elétrico Leaf, cuja venda é limitada a empresas e que conta com um projeto-piloto de táxis nas capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo. A Renault também tem modelos movidos a eletricidade, igualmente oferecidos apenas a pessoas jurídicas.
O país não vende carros movidos a célula de hidrogênio, mas comercializa alguns híbridos, como Toyota Prius R$ 116.660 e Ford Fusion Hybrid R$ 144,6 mil. Esses preços ainda não incluem a isenção do Imposto de Importação, que passará a vigorar para unidades novas que forem faruradas a partir de 27 de outubro de 2015.
 
Fonte: Auto Estrada