Novo teste de colisão da BMW avalia segurança ativa

foto de divulgação

A BMW começou a realizar um novo tipo de teste de colisão que, além de avaliar a segurança proporcionada pela estrutura dos carros, envolve também o sistema de segurança usado em alguns modelos da marca que prevê a iminência de uma colisão e ativa uma série de componentes do veículo, inclusive os freios. O primeiro carro a passar pelos novos testes foi o BMW 530d.

O sistema de detecção e prevenção de colisões, presente nos modelos das séries 5 e 7 da BMW utiliza um radar que avalia a proximidade do carro ou obstáculo à frente do veículo em movimento. Um computador avalia a velocidade de aproximação e, se houver risco de batida, num primeiro momento alerta o motorista, ao mesmo tempo em que altera a sensibilidade do pedal do freio, para que transmita maior força caso acionado.

Se não houver reação do condutor, o sistema ativa um alarme sonoro e, se houver demora no acionamento do freio pelo motorista, o carro irá frear sozinho de forma suave por 1,2 segundos, diminuindo a velocidade. Se, ainda assim, o radar detectar perigo de colisão, o sistema executará uma frenagem de emergência, reduzindo consideravelmente a velocidade do impacto.

Os testes feitos pela BMW partem da velocidade utilizada nos ensaios de colisão feitos pela EuroNCAP, regulamentação usada pela indústria européia, que é de 64 km/h. A aproximação é feita a esta velocidade mas, nos carros com o sistema de segurança ativa, ela é reduzida imediatamente antes do impacto para 40 km/h.

Como no novo teste o carro colide enquanto reduz a velocidade, a batida se dá com a suspensão dianteira abaixada, num ângulo mais compatível com o que costuma ocorrer nos acidentes reais. O mesmo ocorre com os “dummies”, manequins que ocupam o lugar dos ocupantes, que no momento da colisão já estão com os corpos pressionados aos cintos de segurança e com as cabeças inclinadas para a frente. Essas mudanças possibilitarão o desenvolvimento de novos parâmetros de segurança.

Na foto que acompanha o comunicado da empresa, dá para observar que o carro equipado com o sistema de prevenção mostra danos menores. A evidência mais clara é o estado da roda dianteira, que está intacta, enquanto no que bateu a 64 km/h o pneu está furado.

Na foto: O carro da frente foi testado com o sistema de segurança ativo, batendo a 40 km/h. O de trás, sem intervenção, bateu a 64 km/h.

JM

Fonte: Auto Estrada