Os carros mais fáceis e baratos para consertar em 2018

    São Paulo – O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) analisou a relação entre custo e facilidade de reparo de 28 carros ao longo de 2018.

    Foram analisados hatches sub-compactos, hatches compactos, hatches compactos off-road, minivans compactas, picapes compactas cabine simples, picapes compactas cabine dupla, sedans compactos, sedans médios, SWs compactas, utilitários esportivos e utilitários esportivos off-road.

    Carros mais fáceis e baratos para consertar permitem ao comprador economizar com o seguro do automóvel, por exemplo, já que custos com reparos pesam no preço da proteção.

    Confira nas fotos a seguir os modelos que receberam as melhores notas em 2018 em cada categoria, segundo o Cesvi:

    Hatch sub-compacto

    Volkswagen UP!

    Novo Volkswagen Up!Divulgação

    Índice: 10

    Hatch compacto

    Volkswagen Polo

    Volkswagen Polo High 200 TSIDivulgação

    Índice: 10

     

    Hatch compacto off-road

    Volkswagen Cross-UP!

    Volkswagen Cross UP!Divulgação

    Índice: 10

     

    Picape compacta cabine simples

    Volkswagen Nova Saveiro CS

    Saveiro Robust Cabine SimplesDivulgação

    Índice: 27

     

    Pícape compacta cabine dupla

    Volkswagen Nova Saveiro CD

    Volkswagen Nova SaveiroDivulgação

    Índice: 28

     

    Sedan compacto

    Volkswagen Virtus

    Volkswagen VirtusDivulgação

    Índice: 10

     

    Sedan Médio

    Cirtroën C4 Lounge

    Citroën C4 LoungeDivulgação

    Índice: 40

     

    Minivan compacta

    Citroën Aircross

    Citroën AircrossDivulgação

    Índice: 31

     

    SW compacta

    Volkswagen Spacefox

    Volkswagen SpacefoxDivulgação

    Índice: 16

     

    Utilitário esportivo

    Peugeot 2008

    Peugeot 2008Divulgação

    Índice: 31

     

    Utilitário esportivo off-road

    Suzuki Jimny

    Suzuki JimnyDivulgação

    Índice: 36

     

    Metodologia

    Para chegar ao índice de reparabilidade, o Cesvi testa como cada modelo reage a uma batida leve. Colisões deste tipo correspondem a 75% das ocorrências registradas nas grandes cidades. O indicador varia de 10 a 60. Quanto menor a nota, mais fácil e barato é o conserto do carro.

    Os carros foram analisados por solicitações das próprias montadoras. O estudo contempla veículos fabricados no Brasil, Mercosul e também importados. Estão excluídos modelos fora de linha de produção, esportivos fora-de-série, picapes e utilitários com peso superior a 2,3 kg. A atualização do ranking é feita mensalmente.

    Os veículos de uma mesma categoria passam por testes de impacto em baixa velocidade (15 km/h), nos quais há colisão da dianteira esquerda e da traseira direita.

    Depois da batida, o carro é levado a uma oficina, onde são analisados os danos, o tempo e o custo do reparo, além dos preços das peças que terão de ser substituídas.

    O conserto do impacto dianteiro tem 60% de peso no índice, enquanto a batida traseira representa 25%. O custo de uma cesta com 15 peças que costumam ser mais danificadas e o valor da mão de obra equivalem a 15% do cálculo.

    Veja o ranking completo e atualizado aqui.