Para produzir 2,7 milhões de veículos, só com redução de IPI

O Sindipeças trabalha com a previsão de serem produzidos 230 mil veículos em março, excluídas as motocicletas. A produção do ano pode chegar a 2,7 milhões de veículos. “Esse volume só será atingido com a redução do IPI até o final do ano” – adianta-se em esclarecer Paulo Butori, presidente da entidade. Ele adverte que uma reversão no estímulo tributário deve trazer um desastre para a indústria automobilística e explica que o setor deixou de fechar mais de 75 mil postos de trabalho graças à redução do IPI (o corte foi de 28,7 mil vagas desde outubro).

Nem Paulo Butori nem Jackson Schneider, presidente da Anfavea, revelam as negociações com o governo para estimular o mercado de veículos e garantem que não é hora de divulgar que o IPI será reduzido – haveria uma postergação de compra que não interessa às empresas do setor.

Sob intensa pressão – e agora em silêncio – o governo ajusta a melhor forma de anunciar seu entendimento com as montadoras e as autopeças. Possivelmente tudo ficará igual, com redução do mesmo tamanho. Mas pode ser levantada uma contrapartida, como garantia de emprego, ou até mesmo criada uma alternativa de menor impacto sobre a receita do governo na arrecadação de tributos.

Butori não acredita que o governo tenha perda de receita ao conceder o benefício tributário. “Ele ganha, porque as vendas crescem” – afirma.

Fonte: Automotive Business