Participantes em sistema de consórcio crescem 11,2% em julho

Volume de 4,75 milhões de consorciados se refere apenas aos interessados na aquisição de veículos

REDAÇÃO AB

O número de participantes do sistema de consórcio para adquirir veículos subiu 11,2% em julho na comparação com igual mês de 2012, para um total de 4,75 milhões de consumidores, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, a ABAC. A venda de cotas evoluiu 4%, considerando o período acumulado entre janeiro e julho contra igual intervalo de 2012, para 1,34 milhão de unidades. As contemplações para o setor, ou seja, aqueles consorciados que receberam carta de crédito para a compra do veículo avançaram 2% no ano, para 656,3 mil contemplados.

Do total de participantes registrados para o setor em julho, 2,39 milhões optaram pela aquisição de motocicletas, aumento de 2,6% sobre mesmo mês de 2012. Apesar disso, as vendas de novas cotas neste segmento diminuíram 3% no acumulado, para 752,5 mil unidades contra as 775 mil registradas entre janeiro e julho do ano passado. O tíquete médio da cota fechou julho em R$ 10,3 mil, 7,2% abaixo do valor verificado em idêntico mês do ano anterior.

Em julho, o segmento de veículos leves registrou 2,16 milhões de consorciados, aumento expressivo de 23,4% no comparativo anual. Novas cotas para a aquisição de automóveis e comerciais leves no acumulado somaram 557 mil unidades, aumento de 14% contra o ano passado.

No segmento de veículos pesados, o número de participantes cresceu 6% em julho, para 207 mil consorciados interessados na compra de caminhões, ônibus, semirreboques, tratores e implementos rodoviários. Em sete meses, as vendas de cotas para este grupo recuou 7,2%, em função da maior participação de outra modalidade de financiamento no segmento, o Finame PSI, linha de crédito do BNDES, que oferece taxa de apenas 4%.

O setor de veículos domina o sistema de consórcio no Brasil. Segundo a ABAC, sua participação chega a 91,7% do total de novas cotas vendidas entre janeiro e julho deste ano. Além de veículos, o sistema permite a aquisição de outros produtos como imóveis, eletroeletrônicos, bens duráveis e serviços.

Fonte: Automotive Business