Pedágio fica mais caro a partir desta quinta-feira


André Vieira
Do Diário do Grande ABC

Viajar para o litoral do Estado pelas estradas que atravessam o Grande ABC ficará mais caro a partir da 0h de quinta-feira, 1° de julho. A tarifa do pedágio do sistema Anchieta-Imigrantes passará de R$ 17,80 para R$ 18,50.

A novidade deste ano é que a cobrança não poderá ser mais arredondada, como era feito anteriormente para facilitar o troco. Por conta da mudança, alguns pedágios do Estado terão preços que não terminam em zero (confira as novas taxas ao lado).

Além das praças principais da Anchieta e da Imigrantes, outros três pedágios da concessão da Ecovias, que administra o sistema, terão valores reajustados na região.

No bairro Batistini, em São Bernardo, a tarifa passará de R$ 4 para R$ 4,15. Em Diadema, no Km 16 da Imigrantes, a entrada pelo acesso subirá de R$ 1,20 para R$ 1,25. No Km 20, o acréscimo será de R$ 0,10 – de R$ 2,40 para R$ 2,50.

Ainda sob concessão da Ecovias, o pedágio da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em São Vicente, sairá dos atuais R$ 4,80 para R$ 5. Na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, em Santos, a cobrança será de 8,50 e não mais R$ 8,20.

No Trecho Oeste do Rodoanel, a tarifa do pedágio subirá de R$ 1,30 para R$ 1,35. No Trecho Sul, que atravessa o Grande ABC, as praças de pedágio ainda não estão em funcionamento. A licitação deverá ser lançada em breve.

São Paulo – O reajuste foi autorizado para todas as rodovias concedidas pelo governo do Estado. Para os contratos de concessão celebrados até o ano 2000, o reajuste poderá ser de até 4,17%, tendo como base o IGM-P (Índice Geral de Preços do Mercado).

Para as rodovias que tiveram acordo de concessão assinado entre 2008 e 2009, a majoração será de até 5,21%, pois obedece à variação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Segundo a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), o programa de concessões rodoviárias já destinou R$ 12 bilhões para a ampliação e modernização de 5.200 quilômetros de vias. A principal fonte de renda do serviço é a cobrança do pedágio.

Motoristas cobram melhorias nas vias
Para os motoristas, o aumento do pedágio é abusivo e faltam melhorias nas rodovias Anchieta e Imigrantes.

O mecânico Marcelo Cruz, 39 anos, que trabalha com guincho, viaja ao Litoral sete vezes por semana. “Esse é o pedágio mais caro do Estado. No caso do guincho, cobram como se fossem dois carros, sendo que um está com o eixo suspenso. É um assalto”, lamentou o profissional. Cruz diz que não pode repassar para o cliente o aumento, pois pode ficar sem serviço.

Já o motorista Anderson Xavier dos Santos, 33, também terá aumento nos gastos de R$ 5.000 que tem por mês. “Faço transporte de ácido para empresas e gasto muito. O valor é alto, e quando precisamos do apoio da concessionária Ecovias, não temos. Outro dia fiquei por muito tempo esperando um guincho particular porque disseram que não poderiam me ajudar”, disse Santos.

A falta de iluminação e sinalização também é queixa recorrente entre os motoristas ouvidos pela equipe do Diário. (Kelly Zucatelli)

Fonte: Diário do Grande ABC