Polo automotivo paulista mostra força


O polo automotivo paulista respondeu por 45,4% da produção de veículos no Brasil em 2009, segundo dados da Anfavea. A participação é expressiva, mas já foi muito maior: 52,8% em 2004 e 74,8% em 1990, ano da abertura às importações, com a chegada da Lada.

Com o final do regime automotivo especial no nordeste e no centro-oeste, São Paulo se fortalece na atração de novos investimentos. Foi assim com a Toyota, que confirmou o projeto para Sorocaba; da Hyundai, em Piracicaba; e agora da Chery, que escolheu Jacareí.

Os novos recursos para o polo produtivo paulista são expressivos: além dos US$ 700 milhões que a Chery vai anunciar, a Toyota aplicará US$ 600 milhões para produzir inicialmente 70 mil veículos por ano. Valor equivalente será destinado pela Hyundai para a planta com capacidade para 100 mil unidades/ano.

Ford, General Motors e Volkswagen também destinarão recursos ao desenvolvimento de veículos e modernização ou expansão das fábricas em cidades paulistas. O programa de investimentos da GM no Brasil corresponde a R$ 3 bilhões de 2010 a 2012; o da Volkswagen a R$ 6,2 bilhões até 2014; e o da Ford a R$ 4 bilhões até 2015.

A Honda aplica US$ 200 milhões no crescimento da fábrica de Sumaré, SP. A Mercedes-Benz anunciou em março R$ 1,2 bilhão para elevar a capacidade produtiva da planta em São Bernardo do Campo.

O investimento total da indústria automobilística brasileira até 2015 deve superar R$ 40 bilhões, incluído pelo menos US$ 1 bilhão por ano das empresas de autopeças

Fonte: Automotive Business