Produção de leves pode se acomodar em junho


Executivos e empresários que participaram nesta terça-feira, 8, da entrega do prêmio Fiat Qualitas aos melhores fornecedores de 2009 admitiram uma acomodação no nível de produção de veículos leves a partir de agora. Alguns deles já registram uma queda nas encomendas de autopeças da ordem de 10% a 15% nesse segmento. A área de veículos comerciais deve continuar em alta.

Essa expectativa acontece depois de um mês de maio com linhas de montagem aceleradas: a produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus somou 309.629 unidades, avançando 6,6% em relação a abril e 14,9% sobre maio de 2009. Foram montados 289.503 automóveis e comerciais leves (mais 7,0% sobre abril), 15.802 caminhões (mais 1,0%) e 4.324 ônibus (mais 7,2%).

Enquanto a Fiat entregava o prêmio a seus melhores parceiros no Teatro Alpha Real, em São Paulo, repercutiam no País os números relativos à expansão de 2,7% para o PIB no primeiro trimestre do ano, trazendo preocupações com o aquecimento da economia, puxado pela indústria, e com pressão sobre a inflação.

No setor automotivo as preocupações com aumentos de custos se voltam para a evolução do preço do aço, provocada pelo avanço da cotação do minério de ferro e do carvão. Thomas Schmall, presidente da VW, manifestou a intenção de elevar as importações de aço para a fabricação dos veículos da marca. O consumo do produto importado, da ordem de 10% do total utilizado pela empresa no País, avançaria para 30%.

Fonte: Automotive Business