Produção de veículos cai 19,5% no 1º bimestre


Para a Anfavea, ritmo deve crescer 2% até o fim do ano.

Giovanna Riato, AB

A produção de veículos começou o ano em queda. Dados divulgados pela Anfavea, associação dos fabricantes do setor, na terça-feira, 6, apontam para um desaquecimento de 19,5% no primeiro bimestre de 2012 na comparação com o mesmo período do ano anterior, para 429,6 mil unidades.

Em fevereiro foram montados 217,8 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, com retração de 26% sobre o mesmo mês do ano anterior e crescimento de 2,9% sobre janeiro. Cledorvino Belini, presidente da entidade, avalia que a base de comparação de 2011 é forte, o que tornou a queda deste ano mais expressiva. “Naquele período o setor vinha em uma curva de forte crescimento da atividade das fábricas”, lembra.

A fabricação de veículos leves caiu 17,2% no acumulado dos dois primeiros meses do ano, para 410,7 mil unidades. A maior baixa foi anotada entre os modelos comerciais. Grande parte das empresas do setor iniciou o ano com alto nível de estoques para garantir os negócios no início do Proconve P7, nova etapa da legislação de emissões. O objetivo é comercializar os veículos antigos com preços menores até o fim de março. A partir de então só será permitira a venda de modelos Euro 5.

A queda mais significativa do bimestre aconteceu na produção de caminhões, de 50,3%, para 15,4 mil unidades. Em fevereiro foram fabricados 11,9 mil veículos, com queda de 28,8% no reajuste anual e avanço de 248,3% sobre o fraco resultado de janeiro deste ano. O ritmo também foi baixo entre os fabricantes de ônibus. Com 3,4 mil chassis produzidos no bimestre, houve retração de 47,1% sobre o resultado do ano anterior. Em fevereiro ocorreu queda de 34,3% sobre o resultado registrado há um ano e expansão de 118,4% na comparação com o mês anterior, para 2,3 mil unidades. Ambos os porcentuais comprovam que a produção de veículos Euro 5 só começou para valer em fevereiro.

EMPREGOS

Mesmo com a queda na produção, o número de empregos no setor foi 4,9% maior em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, com 145,3 mil funcionários nas fábricas de veículos instaladas no País. Foram foram realizadas 269 contratações entre janeiro e o mês passado .

ESTOQUES

Segundo levantamento da Anfavea, o nível de estoques de veículos está em 37 dias, com 313,5 mil unidades. O patamar é o mesmo registrado a partir do segundo semestre do ano passado. No início do ano, o setor automotivo trabalhava com um nível menor de armazenamento, de 30 a 33 dias. O volume atual é considerado normal pela entidade.

EXPECTATIVA DE CRESCIMENTO

Apesar do desempenho pífio das fabricantes de veículos no primeiro bimestre, a Anfavea mantém a projeção de que a produção vai crescer 2% este ano, para 3,47 milhões de unidades. “Em janeiro tivemos férias coletivas e, em fevereiro, o carnaval, que algumas empresas emendaram. Houve ajuste de estoques. Além disso, o primeiro mês do ano é sempre de muitos gastos para o consumidor, que protela a compra do carro novo”, explica Belini, presidente da entidade.

O dirigente reforça ainda que o segundo semestre é sempre mais aquecido para a produção de veículos. “Nos próximos meses devemos sentir os efeitos do novo regime automotivo”, avalia, em relação à exigência de índice mínimo de 65% conteúdo regional feita pelo governo para que as montadoras não paguem adicional de 30 pontos no IPI.

Fonte: Automotive Business