Produção de veículos no trimestre caiu 16,76%


As estatísticas de licenciamentos de veículos apontam um crescimento de 3,13% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2008. É preciso considerar, no entanto, que a evolução significativa aconteceu no segmento de veículos importados, que avançaram 29,44%. Os nacionais recuaram 0,61% nos primeiros três meses do ano. As exportações despencaram 38,55%. O efeito combinado aparece na produção, que somou 660.010 unidades, ou 16,76% a menos do que no primeiro trimestre de 2008.

Previsões para o ano
A Anfavea estima que este ano serão produzidas 3,22 milhões de unidades, incluindo caminhões e ônibus, com uma queda de 11,2% em relação a 2008. As exportações devem cair 32%, para 500 mil unidades (735 mil em 2008); em valor, incluindo máquinas agrícolas, devem cair 39%, para US$ 8,5 bilhões (US$ 13,9 bilhões em 2008). As vendas no mercado interno devem somar 2,71 milhões, contra 2,82 milhões do ano passado, com retração de 3,9%.

Exportações sem impostos
A perda de mercados internacionais importantes continua sendo um dos principais desafios da indústria automobilística brasileira, que passa a depender cada vez mais do mercado interno. Embora a previsão da Anfavea seja uma queda de 32% em 2009, as perdas no trimestre foram de 38,5%. A Ford, por exemplo, vem registrando queda nas vendas para México, Argentina e outros países vizinhos.

José Carlos da Silveira Pinheiro Neto, vice-presidente da GM, pediu ao ministro Miguel Jorge, do MDIC, redução de impostos sobre produtos exportados durante encontro na Amcham realizado dia 13 de abril para uma reavaliação de cenários na indústria automobilística. “O Brasil continua exportando impostos” – disse, reafirmando a necessidade de eliminar o ICMS incidente sobre vendas externas.
Fonte: Automotive Business