Resultados ruins da GM preocupam mercado financeiro

Na sexta, empresa disse que fará ´todo o possível´ para evitar falência.
Futuro da AIG também causa temor entre os investidores.

Do G1, em São Paulo

As preocupações com a economia real e com o desempenho de algumas das mais importantes empresas americanas sobrepujaram a notícia positiva do pacote chinês de estímulo econômico, de US$ 586 bilhões.

Os mercados, que chegaram a ficar animados com o ´socorro´ chinês, estão muito tensos com a situação da General Motors (GM) depois que as ações da empresa tombaram para o menor nível em 62 anos na segunda-feira (10).

Atingida duramente pela crise, a General Motors (GM) anunciou na sexta-feira (7)que teve prejuízo de US$ 2,54 bilhões no terceiro trimestre deste ano, ou US$ 4,45 por ação. O resultado se compara ao prejuízo de US$ 21,26 bilhões (US$ 37,44 por ação) registrado pela empresa em igual período de 2007.

Também na sexta, seu presidente executivo, Rick Wagoner, assustou investidores ao afirmar que a empresa fará “todo o possível” para evitar a falência, pouco depois de avisar que a companhia poderá ficar sem liquidez no primeiro semestre de 2009.

“Estamos convencidos de que as conseqüências de uma falência seriam terríveis. Por isso, tomaremos todas as medidas possíveis para evitá-la”, declarou Wagoner em uma videoconferência, depois do anúncio dos decepcionantes resultados trimestrais da empresa.

A tensão puxou queda nas bolsas norte-americanas na segunda, e influenciou as perdas das bolsas asiáticas nesta terça.

Mais temor
Outra fonte de preocupação é a seguradora AIG, que teve prejuízo recorde e terá ajuda adicional do governo americano.

A avaliação dos agentes é de que embora o pacote de estímulo de crescimento na China seja relevante e positivo, a decisão em si tem pouco efeito para a economia americana, apenas para empresas com operações no país asiático.

O fato de a AIG precisar de recursos adicionais do governo para sustentar operações e de que as montadoras também sinalizam esgotamento diante da situação econômica nos EUA faz com que os investidores tenham uma visão ainda muito pessimista sobre as condições futuras da economia. Essa percepção não torna os investidores suficientemente confiantes para se manterem comprados ou retornarem ao mercado de ações.

Os papéis da AIG fecharam com ganho de 8,06% nos EUA após governo sinalizar mais ajuda à seguradora. A empresa divulgou prejuízo de mais de US$ 24 bilhões no terceiro trimestre deste ano. As ações da GM cederam 22,94% após o Deutsche Bank avaliar que as ações da montadora podem ir a zero e que a GM talvez não tenha recursos para atravessar dezembro sem ajuda financeira do governo americano.

(Com informações do Valor Online e da Reuters)

Fonte: G1 Globo online