Saab anuncia parceria com chinesa PangDa


Sueca formará uma joint-venture com a chinesa

Após ter desfeito o acordo com a Huatai (Hawtai em mandarim) e a Great Wall ter negado a existência de conversas, a Saab anunciou seu novo parcerio. Trata-se da também chinesa PangDa Automobile, pouco conhecida no Ocidente, mas maior distribuidora de automóveis em sua terra natal. Ela se compromete a formar uma joint-venture junto com a Saab para atuar principalmente em seu país de origem.

A PangDa detém hoje, na China, aproximadamente 1.100 concessionárias, focando-se na distribuição de veículos. No entanto, a joint-venture, que será 50% dela e 50% da Saab, compromete-se a produzir carros na China. As marcas usadas serão a da fabricante escandinava e uma terceira, ainda não revelada, focada em carros pequenos. Esta poderá ainda ser de outra companhia, pois a PangDa precisa de know-how e instalações para cumprir sua parte no contrato. O novo acionista teria metade das ações da empresa chinesa na joint-venture, ou seja, 25% do total.

No contato, há ainda cláusulas não muito comentadas. Uma delas informa que a PangDa se compromete a comprar 30 milhões de euros em automóveis da Saab, podendo adicionar 15 milhões de euros em determinadas circunstâncias. De quebra, a chinesa adquiriu 24% da sueca em ativos diluíveis – ou seja, que perdem valor percentual em uma eventual ampliação de capital – por 65 milhões de euros.

Resumindo, a Saab agora passa a contar com uma parceria que ajudará a fornecer automóveis a todos os cantos do planeta, especialmente a China, onde pretende atuar de maneira mais firme a partir de agora. Além disso, há capital suficiente para o desenvolvimento de produtos e a modernização de linhas de montagem.

Texto: Matheus Q.Pera
Edição/Revisão: Bruno Vieira

Fonte: Auto Diário