Segurança: Carros sul-americanos têm atraso de 20 anos em relação a europeus


Nova rodada de testes na região ocorrerá em novembro

O presidente da Global NCAP, Max Mosley, ex-presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) afirmou que a segurança dos veículos sul-americanos está muito atrás da oferecida por automóveis europeus e norte-americanos. Segundo ele, há pelo menos 20 anos de distância entre os populares latinos e os produtos mais em conta oferecidos na Europa e nos Estados Unidos. Vale ressaltar que as NCAP são entidades independentes que avaliam a integridade dos automóveis em testes de impacto, com grande notoriedade para a instituição europeia (EuroNCAP), que originou o plano global.

Segundo Mosley, o mercado sul-americano tem uma grande quantidade de carros com apenas uma estrela em termos de segurança. No Velho Continente, todos os segmentos possuem modelos com a nota máxima. Por lá, porém, apenas veículos com controle de estabilidade (ESP), freios antitravamento (ABS) e pelo menos quatro airbags conseguem tal pontuação. Já aqui, sequer o cinto de três pontos para o passageiro do banco central traseiro é encontrado em determinados modelos.

Após duas rodadas de avaliações, a local LatinNCAP constatou um abismo entre os chamados países de primeiro mundo e os emergentes. No entanto, sua próxima leva de testes terá divulgação de resultados apenas em 13 de novembro de 2012. Na Europa, todos os lançamentos são avaliados e “esmiuçados” pouco meses após sua chegada às lojas. As pontuações são levadas às autoridades, que podem suspender as vendas ou solicitar atualizações em cada veículo.

Fonte: Global NCAP
Texto: Matheus Q. Pera

Fonte: Auto Diário