Setor automotivo tem melhor acumulado da história


A Fenabrave revela que os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus apresentaram o melhor semestre da história. Apenas as motocicletas, com dificuldades nos financiamentos, não registraram resultado recorde no acumulado dos primeiros seis meses do ano.

“O cenário do primeiro semestre mostra, nitidamente, a tendência de crescimento do setor. A economia está estável e os consumidores estão aproveitando as promoções”, afirmou Sergio Reze, presidente da Fenabrave.

A Fenabrave revisou, porém, as projeções de crescimento para o setor. Os emplacamentos de automóveis e comerciais leves alcançarão 3,2 milhões de unidades comercializadas, numa alta de 6,49%. Já os caminhões contabilizarão 152.714 mil unidades, numa evolução de 39,92%, enquanto as vendas de ônibus crescerão 17,41%, num total de 26.528 mil unidades. As motocicletas prometem registrar aumento de 7,99%, totalizando 1,7 milhão de unidades.

“O crescimento estimado agora para o setor é um pouco menor do que o previsto até o início de maio em função da acomodação sentida pelo mercado. No entanto, o aumento continua expressivo para todos os segmentos, notadamente o de caminhões, que este ano terá seu recorde histórico, com tendência de crescimento gradual para os próximos anos”, comentou Reze.

DESEMPENHO

Automóveis e Comerciais Leves – Os emplacamentos de automóveis e comerciais leves registraram alta na comparação entre os acumulados de 2010 e 2009. Juntos, os segmentos cresceram 7,32%, saltando de 1,3 milhões de unidades para 1,4 milhões de unidades no período. De maio para junho, os emplacamentos dos dois segmentos aumentaram 4,97%, totalizando 247.511 unidades.

Caminhões – Foram comercializados 70.880 caminhões de janeiro a junho deste ano, contra 45.857 caminhões no mesmo período de 2009, numa alta de 54,57%. “A evolução do segmento de caminhões foi motivada pelo aquecimento da economia e pelo Finame, programa de financiamento do BNDES, com taxa a 4,5%”, comentou Reze. De maio para junho, o segmento apresentou pequeno decréscimo, de 1,59%. Foram negociadas 12.993 unidades em junho, ante 13.203 no mês anterior. Segundo o presidente da entidade, não há falta de compradores para os caminhões. “Com a evolução do mercado, o número de contratos de financiamentos também aumentou. Os compradores estão aguardando a liberação do crédito pelo BNDES”, disse Reze.

Ônibus – As vendas de ônibus evoluíram 30,31% comparando os acumulados deste ano com o de 2009, passando de 10.085 para 13.142 unidades. O resultado de maio para junho também foi positivo. Foram negociadas 2.276 unidades, contra 2.108 unidades, numa evolução de 7,97%.

Motos – O volume de vendas de motos aumentou 8,56% na comparação entre os acumulados de 2009 e 2010, saltando de 765.691 unidades para 831.200 unidades. De maio para junho deste ano, o setor de duas rodas registrou retração de 3,62%, diminuindo de 143.853 unidades para 138.647. Segundo Reze, os consumidores de motocicletas ainda estão encontrando dificuldade na aprovação de crédito, principalmente em relação a produtos de marcas não tradicionais.

Fonte: Automotive Business