Takata leva multa de até US$ 200 milhões nos EUA por defeito em airbags

 A NHTSA, agência federal de segurança viária dos Estados Unidos, anunciou a aplicação de multa de US$ 70 milhões aproximadamente R$ 266 milhões para a Takata, fabricante de airbags defeituosos que resultaram na morte de ao menos oito pessoas e ferimentos em mais de cem ocupantes de veículos equipados com o dispositivo de segurança.
A penalidade, no entanto, pode chegar a US$ 200 milhões cerca de R$ 760 milhões caso a fornecedora não pague a multa inicial dentro do prazo estipulado. A punição à empresa acontece, de acordo com a agência reguladora norte-americana, pelo fato de a Takata ter omitido aos clientes e às autoridades a informação sobre um mecanismo defeituoso nos airbags.
Falha afetou pelo menos 19 milhões de carros em todo o mundo, inclusive no Brasil
A NHTSA também determinou que 12 fabricantes de veículos equipados com as bolsas com o problema acelerem a convocação de recalls para substituir o equipamento. A falha já motivou dezenas de recalls em vários países, inclusive no Brasil. Estima-se que o defeito tenha afetado aproximadamente 19 milhões de automóveis em diferentes mercados.
A falha está relacionada ao mecanismo insuflador do airbag, que “enche” a bolsa em caso de colisão. Em alguns casos, esse dispositivo, ao ser ativado, projeta fragmentos e estilhaços dentro da cabine, com alto risco de lesões graves e até fatais aos ocupantes.
Até agora, pelo menos a Honda, uma das montadoras que tiveram veículos afetados, anunciou que não vai mais utilizar airbags frontais da Takata em modelos novos ou em desenvolvimento. Outras empresas devem seguir o mesmo caminho.
Fonte: Auto Estrada