Tata lança hoje o Nano em Mumbai por US$ 1.979

A montadora indiana Tata Motors promove hoje (23) em Mumbai, na Índia, o lançamento do Nano, considerado o carro mais barato do mundo. O carro estará no show room dos revendedores na Índia a partir da primeira semana de abril e as encomendas serão recebidas a partir da semana seguinte. O Nano custará 100 mil rúpias, o equivalente a US$ 1.979, mas esse é o valor na saída da fábrica, ao qual serão acrescentadas as margens dos concessionários e os custos do frete e eventuais acessórios.

A fábrica dedicada à montagem do Nano só estará concluída em 2010, com capacidade para 250 mil unidades por ano. Até lá o veículo será produzido em uma unidade próximo a Nova Delhi à razão de três mil unidades mensais, segundo avaliação do consultor Vignesh Chadran, da Frost & Sulivan.

O Nano despertou a atenção de todo o mundo quando apareceu pela primeira vez diante das câmaras de televisão, em 10 de janeiro de 2008.

“Ele fará 80% do que faz um carro urbano coreano, custando 70% menos” – escreveu na edição de março da revista Automobile o jornalista Ben Oliver. Ele estima que o carro, com motor de 623 cc, com dois cilindros e 33 hp, de tração dianteira, e velocidade máxima de 66 milhas por hora, custará cerca de US$ 2.600 para o consumidor indiano.

Entre as soluções para tornar o Nano um carro ultrabarato estão o emprego de apenas um limpador de para-brisa, o abastecimento de fluidos e até da gasolina no compartimento sob o capô (não há tampa externa do reservatório de combustível); apenas um espelho retrovisor, para o motorista; e a tampa traseira fixa, já que o acesso ao porta-malas é feito dobrando internamente os bancos traseiros; simplificação da fixação das rodas, com apenas três parafusos. Os únicos opcionais de fábrica são ar condicionado e vidros elétricos – tudo mais, incluindo rádio, rodas de alumínio e espelho retrovisor para o passageiro, deve ser adquirido na concessionária.

A Tata foi duramente afetada pelos investimentos na compra da Jaguar e da Land Rover no ano passado e empenha-se em finalizar na Índia a fábrica do Nano, que foi transferida integralmente do estado de West Bengal, diante de conflitos com os fazendeiros locais para a cidade de Sanand, no estado de Guajat.

As vendas do Nano começarão com atraso de seis meses e serão insuficientes para trazer receita significativa à Tata, já que as margens de lucro são pequenas.
Fonte: Automotive Business