Tesla: ações caem após notícia que empresa pediu reembolso de fornecedores

    As ações da Tesla caíam fortemente nesta segunda-feira, após uma reportagem afirmando que a fabricante de carros elétricos pediu a alguns fornecedores o reembolso de alguns pagamentos, numa tentativa de obter lucro.

    Às 13:47 (horário de Brasília), a ação da montadora caía cerca de 4 por cento no pregão eletrônico Nasdaq.

    A Tesla pediu a alguns fornecedores que devolvessem pagamentos feitos desde 2016, informou no domingo o Wall Street Journal, citando um memorando.

    O documento, que segundo o jornal foi enviado por um gerente global de suprimentos, descreveu o pedido como essencial para a operação contínua da Tesla e o caracterizou como um investimento na montadora para continuar o crescimento de longo prazo.

    “Fabricantes de automóveis costumam exigir cortes brutais de preços dos fornecedores para contratos futuros, mas descontos retroativos não são muito comuns, e isso é preocupante”, afirmou David Whiston, da corretora Morningstar, em nota a clientes.

    A Tesla não respondeu a uma série de e-mails e telefonemas em busca de comentários. O WSJ citou a empresa confirmando que está buscando reduções de preço para projetos, alguns dos quais datam de 2016.

    O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, tuitou: “Somente os custos que realmente se aplicam ao terceiro trimestre e adiante serão contabilizados. Não seria correto aplicar economias de custo históricas ao trimestre atual.”

    A Tesla tem queimado caixa enquanto aumenta a produção de seu sedã Modelo 3. Enquanto Musk diz que a empresa não precisa levantar dinheiro neste ano, analistas preveem que a fabricante de carros elétricos precisaria aumentar capital em breve.

    A Tesla tinha cerca de 3,2 bilhões de dólares em caixa no fim do primeiro trimestre, após ter gasto cerca de 1 bilhão de dólares no trimestre.

    A empresa disse que será lucrativa no terceiro e quarto trimestres deste ano. A companhia teve prejuízo de 709,6 milhões de dólares no primeiro trimestre.

    No mês passado, a Tesla afirmou que cortaria milhares de empregos para se tornar lucrativa de maneira sustentável, sem colocar em risco o aumento da produção do modelo 3.