Todos vendem, mas a VW está comprando


O que o grupo sabe que os outros não sabem?, pergunta Crain.

Redação AB

Será que a Volkswagen sabe algo que não sabemos?

A pergunta é o título do editorial assinado por Keith Crain, editor chefe de Automotive News, a respeito do empenho da Volkswagen em acumular novas marcas, enquanto o mundo automotivo caminha na direção inversa.

O grupo alemão, que absorveu o estúdio Giugiaro, namora agora a Alfa Romeo e a Ferrari.

Em Detroit a GM, em recuperação, saiu da concordata com a decisão de livrar-se de marcas como Saab, Hummer, Pontiac e Saturn, que exigiam milhões de dólares para se manterem ativas. A Chrysler, que adicionou ao portfólio a marca Ram entre suas picapes, já se desfez da Plymouth e DeSoto, embora agora tenha que avaliar o que fazer com Fiat e Lancia.

A Ford anunciou que vai encerrar a divisão Mercury e valorizar a Lincoln.

Enquanto isso, o Grupo Volkswagen atende o mercado popular com Skoda, Seat e Volkswagen e, na outra ponta, possui Bentley, Lamborghini e Bugatti.

Crain lembra que na China as companhias apenas iniciaram a consolidação e não há dúvida de que dezenas de marcas serão eliminadas ao longo da década. “A China tem companhias e marcas demais” – escreve o editor.

Ele arremata o artigo dizendo que não parece prudente apostar contra o grupo Volkswagen ou Ferdinand Piech. Mas desta vez é preciso esperar pelo resultado de seus planos.

Fonte: Automotive Business