Toyota quer fazer Nurburgring no Japão

O circuito de Nurburgring é um dos templos do automobilismo na Alemanha. No entanto, está fora da Fórmula 1 – embora este ano esteja previsto o retorno do GP da Alemanha, mas em Hockenheim. Ainda assim, é um dos mais utilizados pelas montadoras em testes para seus carros, antes do lançamento comercial.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Entre as montadoras que testam seus veículos em Nurburgring está a Toyota. No entanto, a japonesa, em vez de deslocar seu pessoal até a Alemanha, pretende dar um passo ousado.

A Toyota quer construir uma réplica de Nurburgring no Japão. A informação é da publicação japonesa Nikkei Asian Review.

O plano da montadora é reproduzir uma réplica de Nordschleife, a pista de 20,7 km que faz parte do complexo do Nurburgring. Nordschleife ficou mais conhecida junto ao grande público após o lançamento do filme “Rush – No Limite da Emoção”.

Conhecida como “Inferno Verde”, a pista alemã foi o local em que Niki Lauda, interpretado por Daniel Brühl, sofreu o acidente que é um dos pontos mais importantes do filme.

Em seus últimos anos como sede do GP da Alemanha de Fórmula 1, porém, Nurburgring estava utilizando para receber a categoria uma versão compacta do circuito – com cerca de 5 km. Nordschleife, que é também aberto ao público para experiências de direção, até hoje é considerado bastante perigoso.

O PLANO DA TOYOTA

De acordo com o Nikkei Asian Review, a Toyota quer construir um grande complexo de desenvolvimento de produtos no Japão. Esse empreendimento na cidade de Aichi.

Lá, a Toyota quer construir nada menos do que 11 pistas de testes. Uma delas seria a réplica de Nordschleife.

No entanto, a montadora não pretende reproduzir todos os quase 21 km. O plano é fazer uma versão mais compacta da pista, com cerca de 5,3 km.

Porém, o circuito não será como o que recebeu a Fórmula 1. O objetivo é reproduzir as curvas e elevações mais famosas de Nordschleife.

Nas pistas que quer construir no novo complexo, a Toyota vai realizar testes complexos, como de direção e frenagem. A diversidade de circuitos será para simular condições de diversos mercados – desde os maiores, como EUA e Europa, até os emergentes da América do Sul.

VEJA TAMBÉM: OS CARROS MAIS RÁPIDOS DO MUNDO