Uma revolução elétrica

Por: Joel LeiteO engenheiro Antonio Megale disse em seu discurso de posse na presidência da Anfavea que sua gestão terá dois pilares de sustentação:1 Eficiência Energética e2 Pesquisa e Desenvolvimento.O dirigente disse que os carros brasileiros serão bem diferentes a partir de 2018, quando se encerra o Inovar-Auto, programa de incentivo à inovação tecnológica e competitividade, e que, como resultado, vai entregar ao consumidor carros mais econômicos, mais seguros e menos poluentes.Megale disse que o setor vai promover uma verdadeira revolução nos próximos anos no que se refere a redução das emissões.Ele fala diretamente sobre carros híbridos e elétricos. Esse segmento ainda não foi devidamente regulamentado, mas as conversações entre indústria e governo estão adiantadas no sentido de se estabelecer uma nova relação tributária para o segmento, de forma a incentivar a produção e tornar o carro elétrico mais presente na vida do brasileiro.Será uma grande contribuição para a redução de consumo de combustíveis líquidos e de emissões de poluentes.Mas o novo dirigente tem preocupações mais urgentes: com o grande número de fábricas em funcionamento e a produção em baixa, o setor trabalha com uma ociosidade de 50%, ou seja, fabrica apenas metade da sua capacidade. No segmento de caminhões a situação é pior: a ociosidade é de 80%.O que está salvando a indústria e mantendo o emprego é o PPE – o Programa de Proteção ao Emprego, instituído pelo Ministério do Trabalho, que Megale quer que tenha caráter perene. “Em algum outro momento lá na frente poderemos precisar desse apoio”, disse o dirigente.O PPE termina em 31 de dezembro deste ano e prevê o pagament
Fonte: Blog: O mundo em Movimento