Valor: crédito a veículos caiu em janeiro

Décio Carbonari, presidente da Anef          Anef projeta avanço de 10% na carteira deste ano.

Redação AB, informações do Valor Online.

Adriana Cotias escreveu no Valor Online, dia 27, quinta-feira, que a tendência de redução do ritmo de crédito à pessoa física, capturada nas estatísticas de dezembro do Banco Central, se acentuou em janeiro. O segmento de veículos foi afetado pelas medidas de restrição à oferta de dinheiro (com maior exigência de capital para operações acima de 24 meses ou entrada maior pelo consumidor): na primeira quinzena de janeiro foram emplacados 121.564 veículos, com um recuo expressivo, de 34,73%, em relação ao mesmo período do dezembro. A expectativa da Anfavea era de uma queda de 27%.

Embora a queda registrada nas estatísticas possa ser atribuída também a veículos licenciados antecipadamente (rapel), o aperto no crédito tem papel decisivo, já que a grande maioria das vendas é feita com base no Crédito Direto ao Consumidor (CDC). O presidente da Anef — Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), Décio Carbonari, disse ao Valor que as estimativas da entidade são de que os portfólios cresçam a uma taxa de 10%, o que vai representar metade da expansão observada em 2010, quando o saldo atingiu R$ 188,6 bilhões.

Fonte: Automotive Business