Veículos de entrada 1.0 têm o maior custo de propriedade

 Gastos com o veículo chegam a 36% do valor total de compra do bem
REDAÇÃO AB

Os veículos de entrada – hatchbacks – são os que têm o maior valor de custo de propriedade proporcionalmente ao valor de aquisição do bem, segundo análise da Jato Dynamics, que desenvolveu uma ferramenta comparativa do custo para manter o carro sobre seu preço total e mensal financiamento durante o uso do automóvel. De acordo com a pesquisa, os custos do hacth 1.0 representam 38% do valor total de aquisição do bem ao longo de 36 meses de uso, considerando que o valor médio do veículo é de R$ 29,5 mil. Esta proporção no segmento de sedã médio ficou em 10%, a melhor proporção entre os pesquisados. Para sedã compacto 1.6 e SUV, o valor proporcional ficou em 16% e 17%, respectivamente.O estudo considerou como custos durante o uso do veículo os gastos avaliados em revisões, manutenção corretiva, seguro, pneus, juros e documentação, além de depreciação. Para realizar a análise a Jato utilizou uma amostra com os cinco modelos mais vendidos de cada segmento no Brasil e reuniu os dados dentro de um prazo de 36 meses e com rodagem de 10 mil quilômetros por ano. No comparativo entre o valor mensal do financiamento versus o gasto para utilizar o veículo, o modelo de entrada também apresentou o maior custo. Considerando que o valor médio da parcela mensal para o segmento seja de R$ 685, o proprietário precisa desembolsar até 80% deste valor para arcar com os custos totais do bem durante o mês, equivalente a R$ 548, enquanto o sedã compacto 1.6 apresentou proporção de 56% ou R$ 633 para um valor mensal médio de financiamento de R$ 1.123. No caso do sedã médio, com valor mensal de R$ 1.514, os custos chegam a 50% desse valor, representando desembolso mensal de R$ 758, enquanto o SUV analisado apresenta 54% do valor médio mensal de financiamento de R$ 1.863, resultando em gastos de R$ 1.005 por mês.Veja abaixo os detalhes dos custos analisados pela Jato Dynamics:
Fonte: Automotive Business