Venda de carros bate recorde em setembro


Do Diário OnLine

As vendas de automóveis e comerciais leves cresceram 19,85% e alcançaram a marca histórica de 296.651 unidades em setembro, último mês da isenção total do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

No acumulado de janeiro a setembro, as vendas registraram alta de 5,49% na comparação com o mesmo período do ano anterior, saltando de 2.096.396 unidades para 2.211.421 unidades. “Apesar da crise, o desempenho das vendas de automóveis e comerciais leves foi positivo, uma conseqüência não apenas da redução da alíquota do IPI, mas também devido à oferta de crédito”, afirmou o presidente da Fenabrave, Sérgio Reze.

“Com a volta do imposto, as vendas de veículos devem retrair um pouco devido, inclusive, à antecipação das compras. Mas, não causará grande impacto. O fim do benefício chega num momento em que a economia está praticamente restabelecida, há oferta de crédito e consumidores confiantes”, comentou o presidente da entidade.

A cobrança do IPI voltou gradativamente nesta quinta-feira. Para os carros com motorização 1.0, a alíquota passou de zero para 1,5% em outubro e até janeiro de 2010 volta para os 7% originais. Para motores entre 1.0 e 2.0 à gasolina, a alíquota passa para 8% em outubro e atinge 11% no próximo ano. Para motores acima de 1.0 e abaixo de 2.0 flex, a alíquota passa para 6,5% em outubro e alcança 11% em 2010.

Pesados – Já o segmento de caminhões, que sofreu nos últimos meses de 2008 e início de 2009 com a falta de frete, apresentou retração de 20,23% nos primeiros nove meses do ano. Foram negociadas 74.414 unidades, contra 93.286 unidades no mesmo período do ano passado. No entanto, no mês de setembro, as vendas do segmento registraram acréscimo de 18,46%, totalizando 10.082 unidades.

“O setor já está reagindo com o aquecimento da atividade econômica. Além disso, as vendas do segmento foram estimuladas também por iniciativas como o Programa ProCaminhoneiro e pelo aumento de 80% para 100% do valor financiável do produto na linha do Finame”, disse Reze. Os emplacamentos de ônibus diminuíram de 19.490 unidades para 16.261 unidades, numa queda de 16,57%.

Duas rodas – O setor de duas rodas apresentou retração de 21,36% comparando o acumulado de 2009 com o ano anterior. No período, houve queda de 1.507.852 unidades para 1.185.701 unidades. “O problema no segmento de motos está atrelado à dificuldade de acesso ao crédito”, explicou o presidente da Fenabrave. Mas, segundo ele, o setor já está apresentando melhores resultados. Foram negociadas 139.686 unidades em setembro, ante 136.561 unidades em agosto, numa alta de 2,29%.

Fonte: Diário do Grande ABC